PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO: uma análise bibliométrica entre os anos de 2000 e 2020

Autores

  • Antonio de Santana Padilha Neto Universidade do Estado da Bahia UNEB
  • Deranor Gomes de Oliveira Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)
  • Edson Rodrigues da Silva Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v12i2.768

Palavras-chave:

Mundo do trabalho, Estudo bibliométrico, Trabalho seguro, Globalização, SciMAT

Resumo

A precarização do trabalho vem sendo estudada desde a década de 1950, ampliando o debate e alterando a morfologia do mundo do trabalho. Este artigo tem por objetivo apresentar um estudo bibliométrico sobre a precarização do trabalho e suas relações, dentro de uma perspectiva mundial, entre os anos de 2000 e 2020. Neste trabalho, foram analisadas produções científicas abordando a temática no período de 2000 até 2020. Para tanto, foi constituída uma amostra com 548 artigos publicados na base de dados Web of Science. A análise foi realizada com o suporte da ferramenta de análise quantitativa SciMAT. Na análise foi incluída a caracterização da produção, dos aspectos metodológicos e dos temas correlatos. A precarização do trabalho revela-se atualmente como um campo de estudo que pode ajudar na compreensão do processo de transformação das relações do mundo do trabalho contemporâneo. Os resultados revelam um campo de estudo diversificado e interdisciplinar. Sugerem, ainda, ligações importantes entre emprego, trabalho, migração e saúde, que à medida que o tempo avança vem contribuindo sistematicamente em uma nova morfologia do trabalho e suas relações.

Biografia do Autor

Antonio de Santana Padilha Neto, Universidade do Estado da Bahia UNEB

Mestre em Políticas e Dinâmicas do Desenvolvimento do Semiárido/Administrador de Empresa. Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Ecologia Humana e Gestão Socioambiental (PPGEcoH) pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Campus III – Juazeiro-BA. Professor da Faculdade de Petrolina - FACAPE. Campus Universitário S/N. CEP: 56.328-903. Petrolina-PE. E-mail: padilha.facape@gmail.com

Deranor Gomes de Oliveira, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)

Doutor em Gestão e Empreendedorismo/Administrador de Empresa. Professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). Av. José de Sá Maniçoba, S/N, Centro, Petrolina (PE), CEP: 56.304-917. Telefone: (74) 98848-5843. E-mail: deranor.oliveira@univasf.edu.br

Edson Rodrigues da Silva, Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF)

Mestre em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação/Administrador de Empresa. Consultor Empresarial; Professor Universitário. Oficina Tributária. Avenida da Integração, Nº 561. Empresarial Edite Carvalho - 2° andar. Sala 203 - Bairro São José. CEP: 56.328-010. Petrolina-PE. Telefone: (87) 98115-7830. E-mail: edson@oficinatributaria.com.br

Referências

ANTUNES, R. (1999). Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. São Paulo: Cortez.1999.

_________. O privilégio da servidão: o novo proletariado na era digital. 1ª. Ed. - São Paulo: Boitempo. 2018.

_________. Uberização, trabalho digital e indústria 4.0. 1ª. Ed. - São Paulo: Boitempo. 2020.

BELFORT, A. C.; FREITAS, H. M. R. de.; MARTENS, C. D. P. Affordances em tecnologia móvel: um tema já consolidado ou uma tendência? Anais do XVIII SEMEAD Seminários em administração. São Paulo, SP, Brasil, 18. 2015. Disponível em: http://sistema.semead.com.br/18semead/resultado/trabalhosPDF/909.pdf. Acesso em: 18 jul., 2021.

CALLON, M., COURTIAL, J. P., TURNER, W. A., & BAUIN, S. From translations to problematic networks: an introduction to co-word analysis. Social Science Information, v. 22, n. 2, p. 191-235. 1983. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/053901883022002003. Acesso em: 15 ago., 2021.

CALLON, M., COURTIAL, J. P.; LAVILLE, F. Co-word analysis as a tool for describing the network of interactions between basic and technological research: the case of polymer chemistry. Scientornetrics. Springer Nature, v. 22, n. 1, p. 155-205. 1991. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/BF02019280. Acesso em: 10 jun., 2021.

CHUEKE, G. V.; AMATUCCI, M. O que é bibliometria? Uma introdução ao fórum. Universidade de São Paulo – FEA/USP.; Escola Superior de Propaganda e Marketing - ESPM. Internext, v. 10, n. 2, p. 1-5. 2015. Disponível em: https://internext.espm.br/internext/article/view/330/233. Acesso em: 05 jul., 2021.

COBO, M. J.; LÓPEZ-HERRERA, A. G.; HERRERA-VIEDMA, E.; & HERRERA, F. An approach for detecting, quantifying, and visualizing the evolution of a research field: a pratical application to the fuzzy sets theory field. Elsevier, v. 5, n. 1, p. 146-166. 2011a. Disponível em: https://ideas.repec.org/a/eee/infome/v5y2011i1p146-166.html. Acesso em: 18 ago., 2021.

_________. SciMAT : a new science mapping analysis software tool. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 63, n. 8, p. 1609-1630. 2011b. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/230760570_SciMAT_A_new_science_mapping_analysis_software_tool . Acesso em: 03 mai., 2021.

HAYASHI, M. C. P. I. Sociologia da ciência, bibliometria e cientometria: contribuições para a análise da produção científica. Anais Eletrônico – IV EPISTED – Seminário de Epistemologia e Teorias da Educação. São Paulo, SP, Brasil, 4. 2012. Disponível em: https://www.marilia.unesp.br/Home/Graduacao/PETBiblioteconomia/soc-da-ciencia-pet.pdf. Acesso em: 03 mai., 2021.

JOHAN, D. A.; KRUGER, C.; MINELLO, I. F. Educação empreendedora: um estudo bibliométrico sobre a produção científica recente. Navus, v. 8, n. 4, p. 125-145. 2018. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/e47f/d57608de36f696ce5912bbe700098b752c64.pdf. Acesso em: 07 jun., 2021.

KESHAVA, G.; GIREESH, A.; GOWDA, M. P. ACM transaction on information systems (1989- 2006): a bibliometric study. Information studies - Indian Journals, v. 14, n. 4, p. 223-234. 2008.

KOVÁCS, I. 2003. Reestruturação empresarial e emprego. Perspectiva, v. 21, n. 2, 467-494. 2003. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/perspectiva/article/view/9761. Acesso em: 07 jun., 2021.

MUÑOZ-LEIVA, F.; VIEDMA-DEL-JESÚS, M. I.; SÁNCHEZ-FERNÁNDEZ, J.; LÓPEZ-HERRERA, A. G. An application of co-word analysis and bibliometric maps for detecting the most highlighting themes in the consumer behaviour research from a longitudinal perspective. Qual Quant, v. 46, p. 1077-1095. 2011. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007%2Fs11135-011-9565-3#citeas. Acesso em: 07 jun., 2021.

OLIVEIRA, D. G. A evolução conceitual da educação para o empreendedorismo como um campo científico. Revista Alcance, v. 23, n. 4, p. 547-567. 2016. Disponível em: https://www.univali.br/periodicos. Acesso em: 11 mar., 2021.

_________. Educação para o empreendedorismo: antecedentes e intensões empreendedoras. Tese de doutorado. Universidade de Évora, Évora, Portugal. 2017.Disponível em: http://rdpc.uevora.pt/bitstream/10174/20834/1/Deranor%20Gomes%20de%20Oliveira%20%28Tese%20de%20Doutoramento%20em%20Gest%C3%A3o%29.pdf. Acesso em: 15 mai., 2021.

OLIVEIRA, V. M. de. O uso dos softwares vosviewer e citnetexplorer na pesquisa bibliométrica. XI EGEPE - Encontro de Estudos sobre Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas. Campina Grande, PB, Brasil, 11.mar. 2020.

OKUBO, Y. “Bibliometric Indicators and Analysis of Research Systems: methods and examples”. OECD Science, Technology and Industry Working Papers, 1997/01, OECD. Paris, França. 1997. Disponível em: https://www.oecd-ilibrary.org/docserver/208277770603.pdf?expires=1624932399&id=id&accname=guest&checksum=6D5DCACAB5D7505E31C6882D684BBC93. Acesso em: 15 mai., 2021.

PRICE, D.D.S. Science since Babylon. New Haven: Yale University Press. 2009.

PRITCHARD, A. Statistical bibliography or bibliometrics? Journal of Documentation, v. 25, n. 4, p. 348-349. 1969.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3a ed. São Paulo: Atlas. 2011.

ROESCH, S. M. A. Projetos de estágio e de pesquisa em administração. 3a ed. São Paulo: Atlas.

ROSTAING, H. (1996). La bibliométrie et ses techniques. Toulouse: Sciences de la Société; Marseille: Centre de Recherche Rétrospective de Marseille. Hal archives-ouvertes, v. 38, p. 16-28. 2005. Disponível em: https://hal.archives-ouvertes.fr/hal01579948#:~:text=La%20bibliom%C3%A9trie%20apporte%20dans%20ce,objectif%20central%20de%20cet%20ouvrage. Acesso em: 15 mai., 2021.

SANTOS, M. F. Trabalho, precarização e subjetividade em contexto de contrarreforma do estado: uma análise sob a ótica dos assistentes sociais no tribunal de justiça do estado do Rio de Janeiro. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG, Brasil. 2017. Disponível em: https://www.ufjf.br/ppgservicosocial/files/2017/10/DISSERTA%c3%87%c3%83O- MICHELE-FLORES.pdf. Acesso em: 21 mai., 2021.

SOLÍS, M. La precarización del trabajo desde una perspectiva sociocultural en un contexto fronterizo. Región y Sociedad, v. 26, n. 59, p. 81-112. 2014. Disponível em: http://www.scielo.org.mx/pdf/regsoc/v26n59/v26n59a3.pdf. Acesso em: 25 mai., 2021.

SPINAK, E. In memoriam: Eugene Garfield – 1925-2017 [online]. SciELO em Perspectiva, 2017. Disponível em: https://blog.scielo.org/blog/2017/03/03/in-memoriam-eugene-garfield-1925-2017/#.YFddRNxv_IU. Acesso em: 19 jun., 2021.

TRIVIÑOS, A. N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas. 2008.

VARGAS, F. B. Trabalho, emprego, precariedade: dimensões conceituais em debate. Caderno CrH., v. 29, n. 77, p. 313-331.2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-49792016000200008. Acesso em: 24 jul., 2021.

Downloads

Publicado

2024-06-07

Como Citar

PADILHA NETO, A. de S.; OLIVEIRA, D. G. de; SILVA, E. R. da. PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO: uma análise bibliométrica entre os anos de 2000 e 2020. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 1055–1074, 2024. DOI: 10.31416/rsdv.v12i2.768. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/768. Acesso em: 13 jun. 2024.