Reflorestamento com a participação da comunidade no as-sentamento rural caatinga grande, São José do Seridó/RN

um estudo de caso

Autores

  • Josimar Araújo de Medeiros FACULDADE CATÓLICA SANTA TERESINHA - FCST https://orcid.org/0000-0002-9554-1146
  • Clézio Oliveira de Gois Colégio Diocesano Seridoense-CDS
  • Inácio Libânio de Medeiros Araújo Cáritas Diocesana de Caicó.

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v12i1.497

Resumo

O estudo tem por objetivo apresentar os resultados de um trabalho de reflorestamento  com a participação da população local,  na zona rural de São José do Seridó/RN, contribuindo para a replicação noutras localidade. Realizou-se em março de 2019, no Assentamento Rural Caatinga Grande – ARCG.   Foram introduzidas 20 plantas nativas no canteiro central situado em meio às residências, distribuídas entre 16 espécies. Doravante, contatos foram estabelecidos com os moradores que voluntariamente, se responsabilizaram pelos cuidados. Na avaliação em abril de 2020, foram realizadas observações in loco, relato fotográfico, contabilizadas as plantas vivas e mortas e realização de uma pergunta aos moradores para mensurar a percepção da importância do projeto. O itinerário metodológico percorrido pelo referido trabalho, capaz promover o envolvimento da comunidade de forma efetiva,  com a aplicação dos seus conhecimentos, mostrou-se eficiente. A sobrevivência de 82% das espécies plantadas. A disposição da comunidade em cuidar das plantas introduzidas, incluindo a irrigação e tratos culturais. A sugestão para a realização do plantio de árvores noutros pontos da localidade e à procura  por mudas, para plantio nas suas residências, no ano de 2022, por moradores da comunidade, comprovam essa constatação. Por fim, a percepção positiva dos moradores quanto aos valores atribuídos ao projeto para o bem-estar da comunidade.  

Biografia do Autor

Josimar Araújo de Medeiros, FACULDADE CATÓLICA SANTA TERESINHA - FCST

Atuação profissional e formação

 Está no magistério desde 1986. Leciona as disciplinas de Geografia, Sociologia e Iniciação Científica na E. E. Prof. Raimundo Silvino da Costa, São José do Seridó/RN (Ensino Médio). É professor da Faculdade Católica Santa Teresinha (FCST), Caicó/RN.   Possui graduação em Geografia (UFRN/1993), Especialização em Bioecologia (UFRN, 1997)  e em Geografia do Semiárido (IFRN, 2002),  Mestrado em Engenharia Sanitária (UFRN, 2005),  Doutorado em Desenvolvimento e Meio Ambiente (UFRN, 2018),  Pós-Doutorado em Geografia (UFC, 2020).

 Revisor dos Periódicos: Pesquisa em Educação Ambiental (Unesp);  Geotemas (UERN);  Engenharia Sanitária e Ambiental e Caderno de Geografia (PUC/Minas).

 

Autor dos livros:

Barragens subterrâneas: base de sustentação do homem rural seridoense;

Convivendo com a seca & combatendo a desertificação: novos olhares;

São José do Seridó/RN: 100 anos (Coautor)  

O despertar da nossa memória (Coautor);

O Ensino de Geografia numa perspectiva teórico-prática: um estudo das plantas nativas da Caatinga (Coautor)

Importância da faveleira na restauração ecológica de paisagens degradas no semiárido brasileiro: estudos realizados entre 1999 e 2022.

Artigos científicos: Publicação de 16 artigos em revistas entre 2012 e 2021.

Atuação  em projetos cujo foco é a mitigação dos problemas socioambientais no município de São José do Seridó

 

Educação Ambiental (Projeto plantar),

Centro de Produção de Mudas Xique-xique, 

Aterro Controlado do Lixo Municipal,

Museu de Plantas Nativas e Crioulas,

Trilha Ecológica Canto do Sabiá,

Arborização da cidade com plantas nativas e crioulas,

Reuso de rejeito de sistema de dessalinização de água na irrigação,

Reflorestamento de áreas de ocorrência da desertificação,

Implantação da coleta seletiva,

 

 

MEMBRO DO GRUPO DE PESQUISA

Membro do Grupo de Pesquisa Interdisciplinar das Ciências Contábeis, Ambientais e de Saúde, do(a) Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

 

Clézio Oliveira de Gois, Colégio Diocesano Seridoense-CDS

Licenciando em Geografia. Colégio Diocesano Seridoense-CDS

Inácio Libânio de Medeiros Araújo, Cáritas Diocesana de Caicó.

Licenciando em Geografia.

Cáritas Diocesana de Caicó.

 

Referências

AMATO-LOURENÇO, L. F. et al. Metrópoles, cobertura vegetal, áreas verdes e saúde. Estudos avançados. n. 30, v. 86, p. 113-130, 2016.

BRASIL, Ministério do Meio Ambiente (MMA). Programa de ação nacional de combate à desertificação e mitigação dos efeitos das secas – Pan-Brasil. Brasília: MMA, 2004.

CANABRAVA, C. C. R., et al. Estudo da percepção ambiental de acadêmicos do curso de ciências biológicas da PUC Minas – Campus coração eucarísticos – Sobre alterações climáticas. Revista Sinapse Ambiental, Betim, v. 4, n. 2., p. 26-47, 2007.

CARLOS, A. F. L.; CRUZ, R. C. A. A necessidade da Geografia. São Paulo: Contexto, 2019.

DIEGUES, A. C. O mito moderno da natureza intocada. 6. ed. São Paulo: NUPAUB - Núcleo de Apoio à Pesquisa sobre Populações Humanas e Áreas Úmidas Brasileiras – USP/HUCITEC, 2008.

DUQUE, J.G. O Nordeste e as lavouras xerófilas. Fortaleza: BNB, 2004.

FRANCISCO, P. Carta Encíclica LAUDATO SI’: sobre o cuidado da casa comum. São Paulo: Paulinas, 2015.

FREIRE, P. Educação e mudança. 9 ed. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1983.

GADOTTI, M. Educar para a sustentabilidade. São Paulo: Editora e Livraria Paulo Freire, 2009.

GARÍGLIO, M.A., et al. (Orgs). Uso sustentável e conservação dos recursos florestais da caatinga. Brasília: Serviço Florestal Brasileiro, 2010.

LIRA, W. S.; CÂNDIDO, G. A. (Orgs.) Gestão sustentável dos recursos naturais: uma abordagem participativa. Campina Grande: EDUEPB, 2013.

LEAL, I.R.; TABARELLI, M.; SILVA, J. M. C. Ecologia e conservação da caatinga. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2003.

LUCENA, R. L.; STEINKE, E. T.; GUILHERMINO, M. M. Analise da temperatura e umidade do ar em áreas de caatinga: contribuição para a recuperação, conservação e preservação do bioma. XIX Congresso brasileiro de meteorologia – CBMET. João Pessoa/PB, Anais... 2016.

MARENGO, J. A. Vulnerabilidade, impactos e adaptação à mudança do clima no semiárido do Brasil. In: Parcerias Estratégicas / Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE). – Brasília/DF: Ministério da Ciência e Tecnologia, p. 146-176, 2008.

MEDEIROS, J. A. Convivendo com a seca & combatendo a desertificação: novos olhares. Caicó: Editora do autor, 2008.

MEDEIROS, J. A.; AZEVEDO, B. K. G. O ensino de Geografia numa perspectiva-teórico prática: um estudo das plantas nativas da caatinga. São José do Seridó/RN: Editora dos Autores, 2020.

MEDEIROS, J. A. O ensino de Geografia pautado nas fragilidades socioambientais e socioeconômicas de áreas de ocorrência da desertificação no semiárido brasileiro: 21 anos do Projeto Plantar. Revista GEOTemas. Pau dos Ferros, RN, v. 09, p. 59-76, 2019.

MEDEIROS, J. A. Importância da faveleira na restauração ecológica de paisagens degradas no semiárido brasileiro: pesquisas realizadas entre 1999& 2022. São José do Seridó/RN: Editora do autor, 2022.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. 10 ed. São Paulo: Cortez; Brasília: UNESCO, 2005.

MORAES, G. O.; MARQUES, W. P. M. A construção do paradigma ecocêntrico no novo constitucionalismo democrático dos países da UNASUL. Revista de direito brasileira. n. 3, vol.5, p. 42-69, 2013.

OLIVEIRA, K. A.; CORONA, H. M. P. A percepção ambiental como ferramenta de propostas educativas e de políticas ambientais. Revista Científica ANAP Brasil, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 54-55, 2008.

POGGIANI, F. O reflorestamento no Nordeste brasileiro: consequências ecológicas. Piracicaba/SP: Série Técnica IPEF, Piracicaba, v. 3, n. 10, p. 85-95, 1982.

PORTO-GONÇALVES, C. V. O desafio ambiental. 3 ed. – Rio de janeiro: Record, 2012.

REGO, N; SUERTEGARY, D.; HEIDRICH, A. Geografia e educação: geração de ambivalências. Porto Alegre: Editora Universidade/UFRGS, 2000.

RIO GRANDE DO NORTE. PROGRAMA DE AÇÃO ESTADUAL DE COMBATE À DESERTIFICAÇÃO E MITIGAÇÃO DOS EFEITOS DA SECA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE - PAE/RN. Natal/RN, 2010.

SHAMS, J. C. A.; GIACOMELI, D. C.; SUCOMINE, N. M. Emprego da arborização na melhoria do conforto térmico nos espaços livres públicos. Revista da Soc. Bras. de Arborização Urbana - REVSBAU, Piracicaba – SP, v.4, n.4, p.1-16, 2009.

RODRIGUEZ, J.M. M.; SILVA, E. V. Planejamento e gestão ambiental: subsídios da geoecologia das paisagens e da teoria geossistêmica. Fortaleza: Edições UFC, 2013.

SANTILLI, J. Agrobiodiversidade e direitos dos agricultores. São Paulo: Petrópolis, 2009.

SOUSA, A. L. et al. Parque Verde Urbano como Espaço de Desenvolvimento Psicossocial e Sensibilização Socioambiental. Revista Psico. Porto Alegre, v. 46, n. 3, p. 301-310, 2015.

SORRENTINO, M. (Coor.). Ambientalismo e participação na contemporaneidade. São Paulo: EDUCA/FAPESP, 2002.

SANTOS, M. Por uma outra globalização: do pensamento único a consciência universal. Rio de Janeiro: Record, 2008.

THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ação. 12ª ed. São Paulo: Cortez, 2003.

TUAN, YI-FU. Topofilia: Um estudo da Percepção, Atitudes e Valores do Meio Ambiente. São Paulo: DIFEL, 1980.

TUDINI, O. G. A arborização de acompanhamento viário e a verticalização na zona 7 de Maringá-PR. 2006. 74 p. Dissertação (Mestrado em Geografia). Maringá/PR, 2006.

Downloads

Publicado

2024-03-01

Como Citar

MEDEIROS, J. A. de; GOIS, C. O. de; ARAÚJO, I. L. de M. Reflorestamento com a participação da comunidade no as-sentamento rural caatinga grande, São José do Seridó/RN: um estudo de caso. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 564–577, 2024. DOI: 10.31416/rsdv.v12i1.497. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/497. Acesso em: 15 abr. 2024.