Classificação da precipitação pluviométrica anual para o município de Parnamirim – PE utilizando Índice de Anomalia de Chuva (IAC)

Autores

  • Adriana de Carvalho Figueiredo Rodrigues IFSertãoPE
  • Eriverton da Silva Rodrigues IFSertãoPE
  • Carlos Wendel Gomes da Silva IFSertãoPE
  • Sandra Regina da Silva Galvão IFSertãoPE

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v7i3.76

Palavras-chave:

Índice de Anomalia de Chuva, Semiárido, Estiagem

Resumo

O trabalho teve como objetivo avaliar o comportamento da variabilidade das precipitações anuais utilizando o Índice de Anomalia de Chuva (IAC) para dados pluviométricos obtidos na Agência Pernambucana de Água e Clima (APAC), referentes ao município de Parnamirim-PE, localizado na região semiárida do Sertão Central Pernambucano. Para o desenvolvimento do estudo utilizou-se duas séries históricas precipitação pluvial que corresponderam aos períodos de 1919 a 1978 e 1994 a 2019, disponibilizados pela APAC. Os dados foram utilizados para calcular os IACs positivos e negativos para classificação de extremos. No período de dezembro a abril se encontram as maiores contribuições de chuvas para o município, o que corresponde a aproximadamente 81% e 82% das chuvas anuais das respectivas séries. Entre os meses de maio a novembro verificam-se as menores chuvas locais, compreendendo assim, ao período de estiagem. Com os resultados obtidos, verificou-se que o município de Parnamirim possui uma pluviosidade extremamente irregular, sendo a variabilidade da precipitação a principal característica do regime de chuvas na região do sertão pernambucano.

Referências

ALVES, J. O.; PEREIRA, P. C.; QUEIROZ, M. G.; SILVA, T. G. F.; FERREIRA, J. M. S.; ARAÚJO JÚNIOR, G. N. Índice de anomalia de chuva para diferentes mesorregiões do estado de Pernambuco. Pensar Acadêmico, Manhuaçu, v. 14, n. 1, p. 37-47, jan/jun, 2016.

ARAÚJO, L.E.; MORAES NETO, J.M.; SOUSA, F.A.S. Classificação da precipitação anual e da quadra chuvosa da Bacia do rio Paraíba utilizando o Índice de Anomalia de Chuva (IAC). Revista Ambiente & Água, Taubaté, v. 4, p. 93-100, 2009(a).

ARAÚJO, L. E.; MORAES NETO, J. M.; SOUSA, F. A. S. Análise Climática da Bacia do Rio Paraíba -Índice de Anomalia de Chuva (IAC). Revista Engenharia Ambiental, v. 6, n. 3, p.508-523, 2009(b).

ASSIS, F. N.; ARRUDA, H. V. e PEREIRA, A. R. Aplicações de estatística à climatologia: teoria e prática. Pelotas, RS, Ed. Universitária/UFPEL, 161p, 1996.

ELI, K; PITZ, J. W., NEVES, L. O.; HAVEROTH, R.; OLIVEIRA, E. C. Análise da distribuição da frequência de precipitação em diferentes intervalos de classes para Rio do Sul/SC. Enciclopédia biosfera, Centro Científico Conhecer –Goiânia, v.9, n.16, p. 106, 2013.

GURJÃO, C. D. S.; CORREIA, M. F.; CHAVES FILHO, J. B. ; ARAGAO, M. R. S. Influência do Enos (El Niño-Oscilação Sul) no Regime Hidrológico do Rio São Francisco: uma Análise em Regiões com Fortes Pressões Antrópicas. Revista Brasileira de Geografia Física, Recife, v. 4, p. 774-790, 2012.

MARCUZZO, F. F. N.; GOULARTE, E. R. P. Índice de Anomalia de Chuvas do Estado do Tocantins. Geoambiente On-line, v. 19, p. 55-71, 2012.Disponível em: <http://revistas.ufg.emnuvens.com.br/geoambiente/article/view/26056/15027>. Acesso em: 20 fev. 2016.

MEDEIROS, R. M.; FRANCISCO, P. R. M.; MATOS, R. M.; SANTOS, D.; SABOYA, L. M. F. Diagnósticos das flutuações pluviométricas no Estado da Paraíba. Revista Brasileira de Geografia Física, Recife, v. 8, n. 4, p. 1017-1027, 2015.

NUNES, M. C. M.; NEVES, S. M. A. S.; NEVES, R. J.; NERY, J. T. Comportamento da precipitação pluvial no município de Cáceres Pantanal Mato-Grossense no período de 1971a 2011. Científica, Jaboticabal, v. 44, n. 3, p. 271-278, 2016.

RAMOS, H. E.A.; SILVA, J.G.F.; IGREJA, G.C.; FREITAS, R.A.; SILVA, A. O. Análise da frequência da precipitação diária no município de Conceição do Castelo –ES. XVII Congresso Brasileiro de Agrometeorologia, Guarapari, MG. Anais. Guarapari, 2011.

ROOY, M. P. Van. A Rainfall Anomaly Index Independent of Time and Space. Notes, 14, 43, 1965.

SANCHES, F. O.; VERDUM, R.; FISCH, G. O Índice de Anomalia de Chuva (IAC) na avaliação das precipitações anuais em Alegrete/RS (1928-2009). Caminhos de Geografia (UFU), Uberlândia, v. 15, n. 51, p. 73-84, set. 2014. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/caminhosdegeografia/article/view/26423/15462. Acesso em: 22 mar. 2016.

SANTOS, A. P. P.; ARAGÃO, M. R. S.; CORREIA, M. F.; SANTOS, S. R. Q.; SILVA, F. D. S.; ARAÚJO, H. A. Precipitação na cidade de Salvador: variabilidade temporal e classificação em quantis. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 31, n. 4, 454-467, 2016.

SPECIAN, V. e VECCHIA, F. A. S. Distribuição da frequência mensal da precipitação para região Oeste de Goiás: comparação entre dois postos pluviométricos. Revista Ateliê Geográfico, Goiânia, v. 8, n. 1, p.200-214, abr. 2014.

XAVIER, R. A. e DORNELLAS, P. C. Análise do comportamento das chuvas no município de Arapiraca, região agreste e Alagoas. Revista Geografia, Londrina, v. 14, n. 2, jul./dez. 2005.

Downloads

Publicado

2019-12-31

Como Citar

RODRIGUES, A. de C. F. .; RODRIGUES, E. da S. .; SILVA, C. W. G. da .; GALVÃO, S. R. da S. . Classificação da precipitação pluviométrica anual para o município de Parnamirim – PE utilizando Índice de Anomalia de Chuva (IAC). Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 7, n. 3, p. 275–284, 2019. DOI: 10.31416/rsdv.v7i3.76. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/76. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Multidisciplinar - Artigos