PRODUÇÃO DE FARINHA DO RESÍDUO INDUSTRIAL DA ACEROLA POR SECAGEM SOLAR E ARTIFICIAL

Autores

  • Helisvanhah Gretta Antunes Rodrigues IFSertãoPE
  • Páulia Maria Cardoso Reis IFSertãoPE
  • Arão Cardoso Viana IFSertãoPE http://orcid.org/0000-0002-5691-1511

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v7i1.101

Palavras-chave:

conservação de alimentos, fibras, sertão Brasileiro

Resumo

A conservação de alimentos permite um aumento na vida útil, mantém as qualidades organolépticas dos alimentos por longos períodos. A secagem é uma forma de conservação onde no presente trabalho foram realizadas secagens artificial e solar utilizando o equipamento Watercone® do resíduo de acerola para avaliação das características físico-químicas. Em comparação com a secagem artificial, houve homogeneidade na perda de massa de água das amostras com a secagem solar, o valor da umidade final dos desidratados foi considerado satisfatória. Os produtos obtidos a partir da secagem solar possuíram cor e aroma muito mais intensos que a secagem artificial, como também o rendimento final foi superior ao encontrado na secagem artificial. Foram realizadas análises físico-químicas da farinha do resíduo de acerola, dando destaque para os parâmetros de Aa (0,463) indicando ser um dos parâmetros que quantificam a vida de prateleira do produto; a umidade (6,56%) estando dentro do permitido pela legislação específica para farinhas; Cinzas totais (2,75%) que representa a presença de minerais nas farinhas; Fibras insolúveis (50,35%). Os valores encontrados nas análises estão de acordo com o encontrado por outros pesquisadores e pela legislação. Logo, a secagem solar utilizando o equipamento Watercone® atende aos parâmetros técnicos de qualidade

Biografia do Autor

Arão Cardoso Viana , IFSertãoPE

Possui graduação em Engenharia de Alimentos pela Universidade Estadual de Feira de Santana e mestrado em Ciência de Alimentos pela Universidade Federal da Bahia. Atualmente é Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do IFSertão-PE - Campus Petrolina. Tem experiência na área de gestão de pessoas, produção industrial, Ciência e Tecnologia de Alimentos, atuando principalmente nos seguintes temas: abate de frango, industrializados, controle de qualidade, logistica, queijo coalho, qualidade microbiológica e físico-química de alimentos.

Referências

AGOSTINI-COSTA, T. S.; ABREU, L. N.; ROSSETTI, A. G. Efeito do congelamento e do tempo de estocagem de polpa de acerola sobre o teor de carotenóides. Rev. Bras. de Fruticultura. Jaboticabal, vol.25n°.1, p.56-58, 2003

AGUIAR, T. M.; RODRIGUES, F. da S.; SANTOS, E. R.; SABAA-SHUR, A. U. de O. Caracterização química e avaliação do valor nutritivo de sementes de acerola. Rev. Soc. Bras. Alim. Nutr.= J. Brazilian Soc. Food Nutr., ago. 2010, vol. 35, n. 2, p. 91-102.

BARUFFALDI, R. & OLIVEIRA, M. N. Fundamentos de Tecnologia de Alimentos. São Paulo: Atheneu Editora, Vol. III, 1998.

BRAGA, A. C. D.; LIMA, M. S.; AZEVEDO, L. C.; RAMOS, M. E. C. Caracterização e obtenção de farinha do resíduo gerado no processo industrial de clarificação do suco de acerola. Revista Seminário De Visu, 2011, vol. 1, nº. 2, p. 126-133.

BRASIL, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Regulamento Técnico para produtos de cereais, amidos, farinhas e farelos. RDC Nº 263, de 22 de setembro de 2005.

CAMPBELL-PLATT, G. Ciência e tecnologia de alimentos. Barueri –SP: Manole, 2015. Autores do capítulo: CHEN, J.; ROSENTHAL, A. p. 243-247.

COELHO, E. M.; AZEVEDO, L. C. Comparação entre técnicas de secagem para obtenção de farinha a partir da casca de manga cv. Tommy atkins. Anais de Evento. Disponível em: <http://propi.ifto.edu.br/ocs/index.php/connepi/vii/paper/viewFile/705/2640> Acesso em: 10 nov. 2015.

FRANCO, B. D. G. M. & LANDGRAF, M. Microbiologia dos Alimentos. São Paulo: Editora Atheneu, 2003.

IFIS. Dicionário de Ciência e Tecnologia dos Alimentos. São Paulo: Roca, 2008.

IAL, Métodos Físico-químicos para análise de alimentos. São Paulo: Instituto Adolfo Lutz, 4ª ed., 2008.

KOBLITZ, M. G. B. Matérias-primas Alimentícias: Composição e Controle de Qualidade. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

OLIVEIRA, L.F. et al. Aproveitamento alternativo da casca do maracujá-amarelo (Passifl ora edulis F. Flavicarpa) para produção de doce em calda. Ciênc. Tecnol. Alim., Campinas, v.22, n.3, p. 1-60, 2002.

PEREIRA, C. T. M.; SILVA, C. R. P.; LIMA, A.; PEREIRA, M. P.; COSTA, C. N.; NETO, A. A. C. Obtenção, caracterização físico-química e avaliação da capacidade antioxidante in vitro da farinha do resíduo de acerola (Malpighia glabra L.). Acta Tecnológica, v. 8, n. 2, p. 50-56, 2013.

SANTOS, K. O.; NETO, B. A. M.; OLIVEIRA, S.; RAMOS, M. E. C.; AZEVEDO, L. C. Avaliação Sensorial de biscoito integral elaborado com resíduo da acerola (Malpighia glabra L.). Anais de evento. Disponível em: < http://connepi.ifal.edu.br/ocs/index.php/connepi/CONNEPI2010/paper/viewFile/247/200> Acesso em: 10 nov. 2015.

SILVA, R. F.; ASCHERI, J. L. R.; PEREIRA, R. G. F. A.; MODESTA, R. C. D. Aceitabilidade de biscoitos e bolos à base de arroz com café extrusados. Ciênc. Tecnol. Aliment., out./dez. 2009, vol. 29, n. 4, p. 815-819.

TIRAPEGUI, J. Nutrição, Fundamentos e Aspectos atuais. São Paulo –SP: Editora Atheneu, 2002.

VIANA, A. C.; NETA, M. L. S.; PLÁCIDO, V. N. Avaliação da Eficiência e da Viabilidade do Secador Solar no Sertão Pernambucano. Higiene Alimentar, 2013, vol. 27, p. 3862-3865.

Downloads

Publicado

2019-04-30

Como Citar

RODRIGUES, H. G. A.; REIS , P. M. C.; VIANA , A. C. PRODUÇÃO DE FARINHA DO RESÍDUO INDUSTRIAL DA ACEROLA POR SECAGEM SOLAR E ARTIFICIAL. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 7, n. 1, p. 24–33, 2019. DOI: 10.31416/rsdv.v7i1.101. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/101. Acesso em: 15 ago. 2022.

Edição

Seção

Ciências Agrárias - Artigos