Uma breve revisão sobre a utilização de abelhas como bioindicadores de contaminação ambiental: Ênfase na Apis mellifera L.

Autores

  • Irineu Ferreira da Silva Neto Faculdade de Medicina Estácio de Juazeiro do Norte
  • Maria Beatriz Silva Duarte Faculdade de Medicina Estácio de Juazeiro do Norte
  • Maria Aparecida Dias Fernandes Canuto Faculdade de Medicina Estácio de Juazeiro do Norte
  • Annalu Moreira Aguiar Faculdade de Medicina Estácio de Juazeiro do Norte

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v9i3.12

Palavras-chave:

Meio ambiente, Toxicologia, Poluente, Biomarcador

Resumo

A antropização generalizada e várias atividades humanas estão degradando o meio ambiente com intensidade crescente. Dessa forma, diferentes espécies de animais foram recentemente consideradas como bioindicadores de contaminação ambiental, em função da sua capacidade indicativa. Assim, o estudo desenvolvido possui como principal objetivo a verificação da capacidade e do grau de utilização de abelhas (Apis mellifera L.) como bioindicadores de contaminação ambiental, através de uma revisão de literatura, nas seguintes bases de dados: SciELO, PubMed e Google Scholar, utilizando os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS): Apis mellifera, Biomarcadores ambientais “Environmental Biomarkers”, Toxicologia “Toxicology”, e Poluentes ambientais “Environmental Pollutants”, combinados pelo operador booleano “AND”. O período de publicações delimitado pelo estudo compreende desde o ano de 2015 até setembro de 2020, utilizando dados encontrados no idioma português ou inglês. Foram incluídos estudos disponíveis na íntegra, obtidos através da opinião de especialistas, os quais foram publicados em periódicos renomados. De acordo com a avaliação dos estudos coletados, pode-se verificar a existência de um cenário favorável para a aplicação de abelhas enquanto bioindicadores ambientais, sendo um dos fatores essenciais a diversidade do material amostrado por este tipo de animal, uma vez que, o processo de amostragem realizado acaba sendo bastante significativo e representativo, porém, em contrapartida, ainda se faz bastante perceptível às fragilidades que este tipo de amostragem pode vir a apresentar. É válido salientar que o estudo prévio da espécie que será utilizada, assim como da região a qual se pretende analisar, é indispensável para que se tenha uma coleta de dados mais apurada.

Referências

ASIF, Nayyab; MALIK, Muhammad; CHAUDHRY, F. N. A review of on environmental pollution bioindicators. Pollution, v. 4, n. 1, p. 111-118, 2018.

BARGA?SKA, ?aneta; ?LEBIODA, Marek; NAMIE?NIK, Jacek. Honey bees and their products: Bioindicators of environmental contamination. Critical Reviews in Environmental Science and Technology, v. 46, n. 3, p. 235-248, 2016.

BÖHME, Franziska et al. From field to food—will pesticide-contaminated pollen diet lead to a contamination of royal jelly?.Apidologie, v. 49, p. 112–119, 2018.

BOTTEON Victor Wilson. Perspectivas de Uso de Insetos Bioindicadores Ambientais em Trabalhos Periciais. Brazilian Journal of Forensic Sciences, Medical Law and Bioethics, v. 5, n. 4, p. 383-401, 2016.

?IRI?, Jelena et al. Honey Bees and Their Products as Indicators of Environmental Element Deposition. Biological Trace Element Research, p. 1-8, 2020.

DAVODPOUR, Rezvan et al. Honeybees (Apis mellifera L.) as a potential bioindicator for detection of toxic and essential elements in the environment (case study: Markazi Province, Iran). Archives of environmental contamination and toxicology, v. 77, n. 3, p. 344-358, 2019.

DONKERSLEY, Philip. Trees for bees. Agriculture, ecosystems & environment, v. 270, p. 79-83, 2019.

GIROTTI, Stefano et al. Bioindicators and biomonitoring: honeybees and hive products as pollution impact assessment tools for the Mediterranean area. Euro-Mediterranean Journal for Environmental Integration, v. 5, n. 3, p. 1-16, 2020.

MILONE, Joseph P. et al. Colony-level pesticide exposure affects honey bee (Apis mellifera L.) royal jelly production and nutritional composition. Chemosphere, v. 263, p. 128183, 2021.

NEGRI, Ilaria et al. Honey bees (Apis mellifera, L.) as active samplers of airborne particulate matter. PLoS One, v. 10, n. 7, p. 0132491, 2015.

NGAT, Tran Thi et al. Honeybee products as potential bioindicators of heavy metals contamination from Northern Vietnam. Vietnam Journal of Biotechnology, v. 18, n. 2, p. 373-384, 2020.

NUNES-SILVA, P. et al. Applications of RFID technology on the study of bees. Insectes sociaux, v. 66, n. 1, p. 15-24, 2019.

ZARI?, Nenad M. et al. Use of honeybees (Apis mellifera L.) as bioindicators for assessment and source appointment of metal pollution. Environmental Science and Pollution Research, v. 24, n. 33, p. 25828-25838, 2017.

ZARIC, Nenad M. et al. Avaliação das variações espaciais e temporais nas concentrações de elementos traço usando abelhas (Apis mellifera) como bioindicadores. PeerJ, v. 6, p. 5197, 2018.

ZHOU, Xiaoteng et al. Identifying sources of environmental contamination in European honey bees (Apis mellifera) using trace elements and lead isotopic compositions. Environmental science & technology, v. 52, n. 3, p. 991-1001, 2018.

Downloads

Publicado

2021-12-09

Como Citar

FERREIRA DA SILVA NETO, I.; SILVA DUARTE, M. B.; DIAS FERNANDES CANUTO, M. A.; MOREIRA AGUIAR, A. Uma breve revisão sobre a utilização de abelhas como bioindicadores de contaminação ambiental: Ênfase na Apis mellifera L. . Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 9, n. 3, p. 204–210, 2021. DOI: 10.31416/rsdv.v9i3.12. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/12. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Ciências Exatas e da Terra - Artigos