Educação contextualizada e o letramento escolar: um olhar sobre a EJA

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v8i2.62

Palavras-chave:

Educação, Semiárido brasileiro, Práticas de letramento, Contextualização

Resumo

Este artigo está situado na área de educação e tem o objetivo de apresentar a relação entre a perspectiva do letramento escolar na prática de uma educação contextualizada a partir da diversidade cultural na sala de aula no Semiárido Brasileiro. É uma pesquisa de abordagem qualitativa-descritiva e foi desenvolvida em uma escola de zona rural no município de Petrolina/PE. O percurso teve o método etnográfico como guia, no qual foram utilizadas as seguintes técnicas de procedimentos: a observação participante, o diário de bordo, a gravação de aulas e entrevistas informais com discentes e o docente. O trabalho foi realizado em uma turma de quarta fase de Educação de Jovens e Adultos, onde foram selecionados quatro colaboradores, sendo três estudantes e o professor de língua portuguesa da turma investigada. Os resultados mostram, inicialmente, que os sujeitos que compõem tal modalidade de ensino ainda almejam um sonho a partir das práticas de letramento escolar. Além disso, tornou-se claro que o letramento não pode ser reduzido às ações de decodificação e que o estudante da escola atual tem consciência de sua cultura, condição essa que subsidia a prática regente na perspectiva da contextualização.

Biografia do Autor

Fábio Ronne Santana Lima, Universidade do Estado da Bahia

Mestre em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos pela Universidade do Estado da Bahia, UNEB, Juazeiro, Bahia. Professor da Educação Básica do estado da Bahia.

Referências

BORTONI-RICARDO, S. M. O professor pesquisador: introdução à pesquisa qualitativa. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

CAPUCHO, V. Educação de jovens e adultos: prática pedagógica e fortalecimento da cidadania. São Paulo: Cortez, 2012.

FREIRE, P. Educação como prática da liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1967.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 22ª ed. Paz e Terra, 2002.

GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro, 1ª Ed, 13ª reimpressão, LTC, 2008.

KLEIMAN, A. B. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: KLEIMAN, A. B. (Org). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas-SP: Mercado de Letras, 2008, p. 15-61.

LÓPEZ, G. L. O método etnográfico como um paradigma científico e sua aplicação na pesquisa. Textura, Canoas, V. 1,n. 1, p. 45-50, 1999. Disponível em: www.periodicos.ulbra.br/index.php/txra/article/download/660/470. Acesso em: 23 Set.2019.

LÜDKE, M.; ANDRÉ, M. E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnica de pesquisa. 7.ed. São Paulo: Atlas, 2008

OLIVEIRA, R. R.; REIS, E. S. Entre o texto e o contexto: os gêneros textuais nos livros didáticos “conhecendo o semiárido 1 e 2” para a aprendizagem contextualizada. Linguagens, Educação e Sociedade, Ano 22, n. 37, jul./dez, p. 110-131, 2017. Disponível em https://revistas.ufpi.br/index.php/lingedusoc/article/view/7579/pdf. Acessado em 21/07/2019.

MARTINS, J. S. Anotações em torno do conceito de educação para a convivência com o Semiárido. In: Educação para a convivência com o semiárido. Juazeiro: RESAB, 2004, p. 29-52.

SAVIANI, D. Escola e democracia: teorias da evolução, curvatura da vara, onze teses sobre educação e política. 8ª ed. São Paulo: Cortez, 1985.

SOARES, M. Linguagem e escola: uma perspectiva social. 16ª ed. São Paulo: Ática, 1999.

Downloads

Publicado

2020-05-01

Como Citar

LIMA, F. R. S. . Educação contextualizada e o letramento escolar: um olhar sobre a EJA. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 310–322, 2020. DOI: 10.31416/rsdv.v8i2.62. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/62. Acesso em: 18 ago. 2022.