Diagnóstico da mata ciliar do reservatório Engenheiro Francisco Sabóia, Ibimirim-PE

Autores

  • Jaimeson Jardel França Silva Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Simone Mirtes de Araújo Duarte Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Géssica dos Santos Vasconcelos

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v12i1.563

Palavras-chave:

Legislação florestal, Monitoramento ambiental, Reservatório d'água artificial., Caatinga

Resumo

As matas ciliares apresentam grande importância para a estabilidade e qualidade dos corpos hídricos, no entanto mesmo que localizadas em áreas protegidas, ainda são alvo de muitas ações degradantes. Assim, o presente trabalho teve como objetivo diagnosticar a situação das matas ciliares na faixa correspondente a APP no entorno do Reservatório Engenheiro Francisco Sabóia, localizado no município de Ibimirim, no estado de Pernambuco. Inicialmente foi realizada uma pesquisa para verificar a regularização ambiental do empreendimento para a determinação da área de estudo, posteriormente, foram utilizadas imagens do satélite CBERS 4A, com alta resolução, manipuladas no software QGIS, para a criação dos mapas temáticos do NDVI e do uso e ocupação do solo com classificação supervisionada de cinco classes: água, vegetação consolidada, vegetação arbustiva, agricultura e solo exposto. Como resultados, observou-se no mapa do uso e ocupação do solo a presença da atividade agrícola com 22%, 9% de solo exposto, 9% vegetação consolidada, 25% vegetação rasteira e água 35%, evidenciando a não adequação à legislação. Atrelado a isso pelo cálculo do NDVI ficou nítido a fragilidade da vegetação durante toda extensão da APP, tendo poucos fragmentos de cobertura vegetal e muita área com vegetação morta ou em estresse hídrico. Conclui-se que a área apresenta alto déficit de vegetação, com alto grau de degradação e atividades irregulares em uma área que não deveria ter seu uso intensivo.

Biografia do Autor

Jaimeson Jardel França Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco

 Engenheiro Florestal pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2017-2023).

Simone Mirtes de Araújo Duarte, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Professora Associada - Universidade Federal Rural de Pernambuco, (Recife) - Departamento de Ciência Florestal (DCFL), Curso de Engenharia Florestal. Possui graduação em Engenharia Agrícola, Mestrado em Agronomia e Doutorado em Recursos Naturais pela Universidade Federal de Campina Grande-PB. Tem experiência na área de Geociências, com ênfase em Manejo de Solo e água, atuando principalmente nos seguintes temas: Sistema de Informação Geográfica (SIG); Sensoriamento remoto; Diagnósticos Ambientais em Bacias Hidrográficas; Degradação e Impactos Ambientais. Grupos de pesquisas - GRUPO DE ESTUDO E PESQUISA DOS DESASTRES NATURAIS - e GRUPO DE PESQUISA CARTOGRAFIA, GEOPROCESSAMENTO E SENSORIAMENTO REMOTO-CAGEOS certificado no CNPQ

Referências

ANA. Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos (SNIRH). Disponível em: http://ana.gov.br/ Acesso: 10/abr. 2022.

ALVES, J. J; Geoecologia da caatinga no semiárido do nordeste brasileiro. Guarabira – PB. Climatologia e estudos da paisagem. v. 2 n. 1, p. 01-14, 2007.

ARAUJO, G. M. Matas ciliares da caatinga: florística, processo de germinação e sua importância na restauração de áreas degradadas. 2009 (Mestrado em botânica) – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife – PE, 2009.

AYRIMORAES, S., CRUZ, M. e FONTENELLE, T. Reservatórios artificiais e seus efeitos no balanço hídrico nacional. Rev. FGV energia, Rio de Janeiro, v.1, n.1, p. 04-08, maio 2019.

BARROS, F. A. Efeito de borda em fragmentos de Floresta Montana, Nova Friburgo – RJ. Brasil. 100f. (Pós-Graduação em Ciência Ambiental) – Universidade Federal Fluminense, 2006.

BRASIL. Lei n. 12.727, de 17 de outubro de 2012. Altera a Lei no 12.651, de 25 de maio de 2012, que dispõe sobre a proteção da vegetação nativa. 2012a. Diário Oficial da União, Brasília, DF, Ano CXLIX, n. 202, 18 outubro 2012. Seção 1, p.1. Disponível em <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12727.htm/>. Acesso em 10 março de 2013.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei nº 4.623, 2019. institui uma lei de proteção da Caatinga, com restrição a desmatamento de vegetação nativa, zoneamento ecológico-econômico (ZEE) e uma política de extrativismo sustentável. Brasília: 2019.

BRASIL. Lei n° 12.651, de 25 de maio de 2012. Dispõe sobre a proteção da vegetação nativa; altera as Leis nºs 6.938, de 31 de agosto de 1981, 9.393, de 19 de dezembro de 1996, e 11.428, de 22 de dezembro de 2006; revoga as Leis nºs 4.771, de 15 de setembro de 1965, e 7.754, de 14 de abril de 1989, e a Medida Provisória nº 2.166-67, de 24 de agosto de 2001; e dá outras providências. Brasília, DF, mai 2012. Disponível em <https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12651.htm/>. Acesso em 10 janeiro de 2013.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Resolução CONAMA Nº 237, de 19 de dezembro de 1997. Dispõe sobre conceitos, sujeição, e procedimento para obtenção de Licenciamento Ambiental, e dá outras providências. Brasília, DF, 1997.

FACUNDO, A. L.; MORAIS, M. A.; PANSERA, C. Análise geossistêmica da degradação de matas ciliares do semiárido cearense. Caderno Intersaberes, v.9, n.19, 2020.

LACERDA, A.V.; et al. Levantamento florístico do componente arbustivo-arbóreo da vegetação ciliar do rio Taperoá, PB, Brasil. Acta Botanica Brasilica, Porto Alegre, v. 19, n. 3, p. 647-656. 2005.

NOGUEIRA, J. A. S. Os reservatórios artificiais de água e seu importante papel na gestão dos recursos hídricos. 2017. (Especialização em Direito Ambiental no curso de pós-graduação em Direito Ambiental) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017.

REZENDE, G. B. M.; ARAÚJO, S. M.S; As cidades e as águas: ocupações urbanas nas margens de rios, Pernambuco, Brasil. Revista de Geografia (Recife), v.33, n.2, p.119-135, 2016.

TERAMOTO, E. H., BENJUMEA, M. T., GONÇALVES, R. D., & KIANG, C. H. Séries temporais do índice NDVI na avaliação do comportamento sazonal do aquífero Rio Claro. Revista Brasileira de Cartografia, 70(3), 1135-1157, 2018.

ZAIDAN, R. T. Geoprocessamento conceitos e definições. Revista de geografia – PPGEO - UFJF. Juiz de Fora, v.7, n.2, p.195-201, 2017.

Downloads

Publicado

2024-03-01

Como Citar

SILVA, J. J. F.; DUARTE, S. M. de A. .; VASCONCELOS, G. dos S. Diagnóstico da mata ciliar do reservatório Engenheiro Francisco Sabóia, Ibimirim-PE . Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 17–26, 2024. DOI: 10.31416/rsdv.v12i1.563. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/563. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Ciências Agrárias - Artigos