Utilização do extrato da casca da jurema preta para controle da Glomerella Cingulata

Autores

  • Kelly Milene Santos De Brito Instituto Federal do Sertão Pernambucano, campus Petrolina Zona
  • Ricardo Farias De Almeida Instituto Federal do Sertão Pernambucano, campus Petrolina Zona Rural
  • Jane Oliveira Perez Instituto Federal do Sertão Pernambucano, campus Petrolina Zona Rural
  • Francisco Macedo De Amorim Instituto Federal do Sertão Pernambucano, campus Petrolina Zona Rural

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v12i1.453

Palavras-chave:

doença da videira, mimosa tenuiflora, fungos

Resumo

O presente trabalho objetivou verificar o efeito antifúngico do extrato hidroalcoólico da casca do caule da Jurema Preta frente ao crescimento micelial do fungo Glomerella cingulata. Nos testes feitos in vitro usou-se 5 tratamentos, com as seguintes concentrações do extrato: T1 (0:0), T2 (1:1), T3 (1:2), T4 (1:4) e T5 (1:6), sendo 4 repetições por tratamento e 2 placas por repetição. Em placa de Petri, com meio de cultura BDA, alíquotas de 30 µl do extrato foram adicionados superficialmente e espalhado com a alça de drigalski, um micélio de 3mm de diâmetro do fungo, foi então, inserido centralmente na placa. As placas foram mensuradas até atingirem 9 cm de diâmetro, em um de seus lados, nas placas testemunhas, sendo que as medições foram feitas em intervalo de 24 horas. Para análise dos dados foi aplicada uma análise de variância e as médias foram comparadas pelo teste de Tukey. Os resultados obtidos demonstraram que o T2 foi o mais eficaz no teste, conseguindo retardar o crescimento até 96 horas de inoculação. Apesar dos resultados, o extrato não apresentou atividade antifúngica satisfatória, sendo necessário novos testes e estudos sobre o tema.

Biografia do Autor

Jane Oliveira Perez, Instituto Federal do Sertão Pernambucano, campus Petrolina Zona Rural

Engenheira Agrônoma, Dra em Agronomia Fitopatologia - UFLA-MG. Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sertão Pernambucano, IFSertãoPE.

Francisco Macedo De Amorim, Instituto Federal do Sertão Pernambucano, campus Petrolina Zona Rural

PROFESSOR DE ENOLOGIA NO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA - IF SERTÃO PERNAMBUCANO. Doutorando em Engenharia Alimentar (Enologia) pelo Instituto Superior de Agronomia (Universidade de Lisboa). Mestre em Viticultura e Enologia pelo Instituto Superior de Agronomia (Universidade Técnica de Lisboa), em parceria com a Faculdade de Ciências do Porto (Universidade do Porto) e Estação Vitivinícola Nacional, Portugal (2008). Graduado em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2002). Experiência na execução de projetos de pesquisa em vitivinicultura e atividades relacionadas ao desenvolvimento, promoção e divulgação do setor vitivinícola da região do Vale do São Francisco desde 2002.

Referências

BATISTA, D. da C.; BARBOSA, M. A. G. Podridão da uva madura em BRS Vitória no Submédio do Vale do São Francisco. Circular Técnica 132, Petrolina: Embrapa Semiárido, 2022.

BORGES, I. V.; CAVALCANTI, L. S.; NETO, A. F.; ALMEIDA, J. R. G. S.; ROLIM, L. A.; ARAÚJO, E. C. C. Identificação da fração antimicrobiana do extrato da Mimosa tenuiflora. Comunicata Scientiae, v. 8, n. 1, p. 155-164, 2017.

CUNHA, T. D. H.; SILVA, Y. V. N. da. Principais efeitos terapêuticos da jurema preta (mimosa tenuiflora (willd.) poir.) e as perspectivas existentes para produção de novos medicamentos fitoterápicos. Mossoró: Repositório Universitário da Ânima, 2022.

FURUYA, S.; MOCHIZUKI, M.; SAITO, S.; KOBAYASHI, H.; TAKAYANAGI, T.; SUZUKI, S.. Monitoring of QoI fungicide resistance in Plasmopara viticola populations in Japan. Pest Management Science, v.66, n. 11, p 1268-1272, 2010.

GELAIN, Itacir Olivo. A regulação do agrotóxico e seu impacto na produção vitivinícola no Rio Grande do Sul. Repositório institucional UNISC, 2020.

JÚNIOR, C. B.. Doenças e pragas em videira. Boletim técnico 33, São Paulo:

Instituto Biológico, 2022.

LIMA, Mirtes Freitas. Doenças que comprometem a produção e a comercialização da uva. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE VITIVINICULTURA, 1.; FEIRA

NACIONAL DA AGRICULTURA IRRIGADA - FENAGRI, Petrolina, 2008.

MATOS, F. J. A. Introdução à fitoquímica experimental. Fortaleza: UFC Edições, 1997.

OOTANI, M. A.; AGUIAR, R. W. S.; RAMOS, A. C. C.; BRITO, D. R.; SILVA, J. B.; CAJAZIEIRA, J. P.. Use of essential oils in agriculture. Journal of biotechnology and biodiversity, v. 4, n. 2, p. 162-175, 2013.

Sousa, R.M.S; Serra, I.M.R.S; Melo, T.A. Efeito de óleos essenciais como alternativa no controle de Colletotrichum gloeosporioides em pimenta. Summa

Phytopathologica, v.38, n.1, p.42-47, 2012.

Downloads

Publicado

2024-03-01

Como Citar

SANTOS DE BRITO, K. M.; FARIAS DE ALMEIDA , R. .; OLIVEIRA PEREZ, J.; MACEDO DE AMORIM, F. . Utilização do extrato da casca da jurema preta para controle da Glomerella Cingulata. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 12, n. 1, p. 136–143, 2024. DOI: 10.31416/rsdv.v12i1.453. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/453. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

Ciências Agrárias - Artigos