Desenvolvimento de um arranjo produtivo de confecção de artigos de couro na cidade de Serrita

Autores

  • Maria Zilma Martins Felix IFSertãoPE
  • Celiane Coelho Sidrim
  • Sileide Dias das Neves

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v6i1.120

Palavras-chave:

Arranjo Produtivo Local, Desenvolvimento Regiona, Sustentabilidade, Artesão

Resumo

Este artigo apresenta a temática do Arranjo Produtivo Local – APL que são aglomerações territoriais de agentes econômicos, políticos e sociais com foco em um conjunto específico de atividades econômicas e que apresentam vínculos e interdependência, com o objetivo de analisar a viabilidade de criação de um APL de confecção de artigos de couro no município de Serrita. Traz um breve histórico do município, aborda os conceitos e características dos APL’s, tendo em vista a importância econômica dessas estruturas produtivas para as regiões onde estão inseridos. Trata-se de um estudo de caso com uma abordagem de natureza qualitativa com caráter exploratório, o instrumento de coleta de dados escolhido foi o questionário. Com a pesquisa de campo buscamos analisar a dinâmica atual dessa atividade no município, evidenciou-se os obstáculos que dificultam o desenvolvimento do referido APL. Por fim, serão apontadas sugestões que possam ajudar a enfrentar os obstáculos identificados para criação do arranjo.

Referências

BECATTINI, G. O Distrito Marshalliano: Uma noção sócio-econômica. In: BENKO, G.; LIPIETZ, A (Org.). As Regiões Ganhadoras. Distritos e Redes: Os novos paradigmas da Geografia Econômica. Oeiras-Portugal: Celta Editora, 1994. p. 45-58.

CAATINGA CERRADO - COMUNIDADES ECO-PRODUTIVAS - www.caatingacerrado.com.br/aasp/

CARDOSO, U. C., CARNEIRO, V.L.N., RODRIGUES, E. R. Q. APL –Arranjo Produtivo Local. Sebrae, Brasília,2014.

COSTA, A. B. & COSTA, B. M. (2005). Cooperação e Capital Social em Arranjos Produtivos Locais. In: XXXIII Encontro Nacional de Economia (ANPEC), 2005, Natal/RN.

FUINI, L. L. A Governança em Arranjos Produtivos Locais (APLs): algumas considerações teóricas e metodológicas. Londrina, 2014.

GONCALO, C. R. & REYES JUNIOR, E. (2012). As redes sociais, uma ferramenta de diagnóstico para estratégias relacionais para a criação do conhecimento em arranjos produtivos locais (APL) / Social networking, a tool for diagnosis of strategies for creating relational knowledge in Clusters. Revista da micro e pequena empresa (FACCAMP), v. 6, p. 20-37.

HEERDT, Mauri Luiz. Como Elaborar Projetos de Pesquisa na Prática. UNISUL, 2007.

IBGE CIDADES. Serrita. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/serrita/panorama Acesso em: 27 fev. 2018.

LASTRES Helena M. M.; CASSIOLATO, José Eduardo. Glossário de Arranjos e Sistemas Produtivos e Inovativos Locais. SEBRAE. 2003.

MARSHALL, A. Princípios de economia. São Paulo: Nova Cultural, 1984.

MTE – MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO. Cadastro Geral de Empregados e Desempregados – CAGED,2016.

PORTER, M. Competição: Estratégias competitivas essenciais. Rio de Janeiro: Campus-Elsevier, 1999.

SASAOKA, Silvia; DA CRUZ LANDIM; Paula; MOURA, Monica. O design e o Artesanato na Economia. Economia Criativa ou Solidária? São Paulo: 2016.

SILVA, Maria Emília Martins. Gestão Sustentável da Orla Marítima em Destinos Turísticos Costeiros: A Percepção dos Atores Sociais. 335 f.il. Dissertação (Mestrado) Centro Tecnológico da Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, SC, 2013.

Downloads

Publicado

2018-04-30

Como Citar

FELIX , M. Z. M. .; SIDRIM , C. C. .; NEVES , S. D. das. Desenvolvimento de um arranjo produtivo de confecção de artigos de couro na cidade de Serrita. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 32–42, 2018. DOI: 10.31416/rsdv.v6i1.120. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/120. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Ciências Sociais Aplicadas - Artigos