Marcha de crescimento e de absorção de nitrogênio da hortelã-miúda (Mentha x villosa (Huds))

Autores

  • Eloisa Emanuelle Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano
  • Brena Suellen Ribeiro Gomes IFSertãoPE – Campus Petrolina Zona Rural
  • Cícero Antônio de Sousa Araújo IFSertãoPE – Campus Petrolina Zona Rural
  • Flávia Cartaxo Ramalho Vilar IFSertãoPE – Campus Petrolina Zona Rural

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v12i2.542

Palavras-chave:

nutrição mineral, acúmulo de nutrientes, adubação

Resumo

As informações sobre a fertilização química e exigência nutricional de plantas medicinais ainda são escassas, não há recomendação adequada para a hortelã-miúda no manual de adubação do estado de Pernambuco. O nitrogênio, por estar presente em moléculas importantes para todos os processos biológicos, é considerado elemento essencial para as plantas. A marcha de absorção de nutrientes permite ao produtor estabelecer as quantidades e a época certa para a adubação de cada nutriente. Desse modo, objetivou-se com esse trabalho determinar a marcha de crescimento e de absorção de nitrogênio da hortelã-miúda em vaso, em casa de vegetação. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, no IFSertãoPE, Campus Petrolina Zona Rural. Foi utilizado delineamento experimental inteiramente casualizado, com 7 tratamentos e 6 repetições. Cada tratamento correspondeu a uma época de amostragem, realizadas de 10 em 10 dias após o transplantio. Avaliou-se em cada período a matéria seca, teor e o acúmulo de N na parte aérea e raiz. As produções de massa seca na hortelã-miúda variam de forma quadrática ao longo do tempo, verificando maior incremento a partir dos 30 DAT. Os teores de N variam de forma quadrática ao longo do tempo, sendo decrescente a partir dos 30 DAT. O acúmulo de N total na hortelã-miúda varia de forma quadrática ao longo do tempo, tendo maior crescimento a partir dos 30 DAT. A dose recomendada de N para a hortelã-miúda no primeiro corte da cultura é de 29,2 kg.ha-1.

Referências

BLANK, A. F.; OLIVEIRA, A. S.; ARRIGONI, M. F.; FAQUIN, V. Efeitos da adubação química e da calagem na nutrição de melissa e hortelã-pimenta. Horticultura Brasileira, v. 24, n. 2, p. 195-198, abr.-jun. 2006.

FAQUIN, V. Nutrição mineral de plantas. Curso de Pós-Graduação “Lato Sensu” a Distância: Solos e Meio Ambiente. Lavras: UFLA/FAEPE, 2005. p. 7.

FREITAS, R. C.; AZEVEDO, R. R. S.; SOUZA, L. I. O.; ROCHA, T. J. M.; SANTOS, A. F. Avaliação da atividade antimicrobiana e antioxidante das espécies Plectranthus amboinicus (Lour.) e Mentha x villosa (Huds.). Revista de Ciências Farmacêuticas Básica e Aplicada, v. 35, n. 1, 2014.

GARLET, T.M.B. SANTOS, O. S. Solução nutritiva e composição mineral de três espécies de menta cultivadas no sistema hidropônico. Ciência Rural, v. 38, p. 1233- 1239, 2008.

HUNGRIA, M.; CAMPO, R. J.; MENDES, I. C.. A importância do processo de fixação biológica do nitrogênio para a cultura da soja: componente essencial para a competitividade do produto brasileiro. Embrapa Soja-Documentos (INFOTECA-E), 2007.

MAIA, J. T. L. S.; MARTINS, E.R.; COSTA, C.A.; FERRAZ, E.O.F.; ALVARENGA, I.C.A.; SOUZA JÚNIOR, I.T.; VALADARES, S.V. Influência do cultivo em consórcio na produção de fitomassa e óleo essencial de manjericão (Ocimum basilicum L.) e hortelã (Mentha x villosa Huds.). Revista Brasileira de Plantas Medicinais, v. 11, p. 137- 140, 2009.

MAIA, N.B. 1998. Efeito da nutrição mineral na qualidade do óleo essencial da menta (Mentha arvensis) cultivada em solução nutritiva. In MING LC. Plantas medicinais aromáticas e condimentares: avanços na pesquisa agronômica. Botucatu: UNESP. p. 81-96.

OLIVEIRA, S. R. 2017. Marcha de absorção e balanço de nutrientes no sistema solo-planta para o meloeiro fertirrigado. 51p. (Dissertação) – Universidade Federal de Campina Grande, Pombal, Brasil.

OLIVEIRA, S. R., ARAÚJO, J. L., OLIVEIRA, F. S., FÁTIMA, R. T., de ANDRADE, R. O., FIGUEIREDO, C. F. V., SOUSA, G. M., NASCIMENTO, R. R. A. 2020. Marcha de absorção de nutrientes em meloeiro ‘goldex’fertirrigado. Brazilian Journal of Development 6: 12654-12673.

RAMALHO, H.; NETO, E. B.; BARRETO, L. P; LIRA, R. M.; de LUCENA, E. H. L.; LIMA, N. S.; SILVA, M. A. Comparação de metodologias para determinação de Ntotal em tecido vegetal. UFRPE: XIII JORNADA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO – JEPEX. Recife. 2013.

SILVA, F.; CASALI, V.W.D. Plantas medicinais e aromáticas: Pós-colheita e óleos essenciais. Viçosa: Arte e Livros, 2000. 135p

ZAMBOLIM, L.; VENTURA, J. A. Resistência a doenças induzida pela nutrição mineral de plantas. Revisão Anual de Patologia de Plantas, Passo Fundo, v. 1, p. 275-318, 2016.

Downloads

Publicado

2024-06-07

Como Citar

EMANUELLE, E.; BRENA SUELLEN RIBEIRO GOMES; CÍCERO ANTÔNIO DE SOUSA ARAÚJO; FLÁVIA CARTAXO RAMALHO VILAR. Marcha de crescimento e de absorção de nitrogênio da hortelã-miúda (Mentha x villosa (Huds)). Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 12, n. 2, p. 678–687, 2024. DOI: 10.31416/rsdv.v12i2.542. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/542. Acesso em: 13 jun. 2024.

Edição

Seção

Ciências Agrárias - Artigos