Ecodinâmica e vulnerabilidade ambiental: Ilha do Fogo em Juazeiro/BA

Autores

  • Indiane Gomes de Carvalho IFSertãoPE
  • Clecia Simone Gonçalves Rosa Pacheco IFSertãoPE

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v4i3.143

Palavras-chave:

Paisagem fluvial, Geossistêmica, Impacto socioambientais

Resumo

O presente artigo aborda sobre a paisagem fluvial da Ilha do Fogo - rio São Francisco - Juazeiro/BA, sua ecodinâmica e vulnerabilidade ambiental. A referida pesquisa corresponde ao relatório final do projeto intitulado: Análise ecodinâmica da paisagem fluvial da ilha do fogo: a importância geossistêmica dessa área para as cidades de Juazeiro/BA e Petrolina/PE, fazendo parte do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC 2013-2014). Objetivou-se nesse projeto, traçar uma análise ecodinâmica da área descrita, avaliando em microescala, o grau de vulnerabilidade deste geossistema, bem como, a intensidade dos processos erosivos do solo e os impactos socioambientais relacionados aos demais componentes do meio físico-biótico, além das formas de ocupação e uso do local. A metodologia utilizada fundamentou-se na abordagem ecodinâmica proposta por Tricart (1977) e, no método GTP (Geossistema – Território – Paisagem) preconizado por Bertrand (2007). Mediante os resultados encontrados, pode-se afirmar que é imprescindível monitorar os processos erosivos, conservar a mata ciliar e implementar políticas de gestão do uso e ocupação da área, baseadas nos preceitos da sustentabilidade socioambiental.

Biografia do Autor

Indiane Gomes de Carvalho , IFSertãoPE

Aluna do Curso Técnico em Informática e Bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC Jr.)

Clecia Simone Gonçalves Rosa Pacheco, IFSertãoPE

Geógrafa. Doutoranda em Educação; Mestre em Ciências da Educação; Mestranda em Tecnologia Ambiental; Especialização em Metodologia do Ensino Superior/Interdisciplinaridade em Educação Básica/Psicopedagogia Clinica e Institucional/Programação do Ensino de Geografia; Orientadora de Monografias do Curso de Pós-Graduação em PROEJA IF SERTÃO-PE; Pesquisadora em questões voltadas à Educação no Contexto do Semiárido brasileiro e em questões de Degradação Ambiental, Gestão e Paisagens Rurais.

Referências

BERTRAND. G. Paisagem e Geografia Física

Global: esboço metodológico. Caderno de

Ciências da Terra. N. 13. Universidade de São

Paulo. Instituto de Geografia. São Paulo: 1971.

BERTRAND, G.; BERTRAND C. Uma

Geografia Transversal e de Travessias: o meio

ambiente através dos territórios e das

temporalidades. Maringá: Mossoni, 2007.

CASSETI, V. Ambiente e apropriação do

relevo. São Paulo: Editora Contexto, 1991.

CHRISTOFOLETTI, A. Modelagem de

Sistemas Ambientais. São Paulo: Edgard

Blucher, 1999.

CUNHA, S. B. da. Canais Fluviais e a Questão

Ambiental. In: A Questão Ambiental: diferentes

abordagens. CUNHA, S. B.; GUERRA, A. J. T.

(Orgs.). 4. Ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil,

p.219-238.

GUERRA, A. J. T.; MENDONÇA, J. K. S.

Erosão dos solos e a Questão Ambiental, In:

Reflexões sobre a Geografia Física no Brasil.

– (orgs.) VITTE, A. C.; GUERRA, A. J. T. G.

Rio de Janeiro: Ed.Bertrand Brasil, 2004, p.

-256.

MALHOTRA, N. Pesquisa de marketing:

uma orientação aplicada. 3. ed. Porto Alegre:

Bookman, 2001.

TRICART, J. Ecodinâmica. Rio de Janeiro,

IBGE, Diretoria Técnica, SUPREN, 1977, 91p.

VIEIRA, V. A. As tipologias, variações e

características da pesquisa de Marketing.

Revista da FAE, Curitiba, v. 5, n. 1, p. 61-70,

jan./abr. 2002.

Downloads

Publicado

2016-12-31

Como Citar

CARVALHO , I. G. de .; PACHECO, C. S. G. R. . Ecodinâmica e vulnerabilidade ambiental: Ilha do Fogo em Juazeiro/BA. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 4, n. 3, p. 100–107, 2016. DOI: 10.31416/rsdv.v4i3.143. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/143. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Multidisciplinar - Artigos