Análise da velocidade e direção dos ventos em Cruz das Almas, Bahia, no período 1973-2001

Autores

  • TATYANA KEYTY DE SOUZA BORGES IFSertãoPE
  • AUREO SILVA DE OLIVEIRA Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) – Campus Cruz das Almas/BA
  • NEILON DUARTE DA SILVA Doutorando em Engenharia Agrícola da UFRB

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v6i3.107

Palavras-chave:

Meteorologia, Recôncavo da Bahia, Ventos de superfície, Anemógrafo

Resumo

O vento é variável meteorológica relevante em vários aspectos da interação superfície-atmosfera e de grande influência em processos naturais e atividades humanas na atmosfera inferior. O regime de ventos numa dada região tipicamente baseia-se na análise de séries temporais do vento horizontal em termos de velocidade média e direção predominante. Essa análise é feita no presente estudo para a localidade de Cruz das Almas, Bahia (12º40’ S, 39º06’ W, 225 m anm) a partir de dados diários de velocidade e direção do vento medido por um anemógrafo universal a 10 m de altura no período 1973-2001 (29 anos). Utilizou-se a base de dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) como fonte das informações. Em Cruz das Almas, o regime de ventos é fortemente influenciado por centros de alta pressão no Atlântico Sul. A velocidade média diária do vento a 10 m de altura foi de 2,7 m s-1 com 70,4% das observações concentradas no intervalo de 1,6 m s-1 a 3,3 m s-1, correspondendo este à classe brisa leve da escala de Beaufort. A direção predominante do vento foi a sudeste (SE), com 88,5% das observações de todo o período restritas ao intervalo fechado de 90º (direção leste - E) a 180o (direção sul - S) da rosa dos ventos. A predominância da direção SE se reproduziu mês a mês (frequência mínima de 35% em novembro e máxima de 50% em fevereiro) e também nas estações do ano com frequências de 45%, 42%, 48% e 39%, respectivamente, no verão, outono, inverno e primavera. A direção S apresentou frequência média de 30% no outono e inverno tendo esse valor se repetido para ventos de direção E no verão e primavera.

Referências

ABI SAAB, O.J.G. Indicador de velocidade do vento.Semina: Ciências Agrárias, v. 25, n. 1, p. 21-26, 2004.

ALLEN, R.G.; PEREIRA, L.S.; RAES, D.; SMITH, M. Crop Evapotranspiration: guidelines for computing crop water requirements. Irrigation and Drainage Paper 56, FAO, Rome, 1998. 297p.

ALVARES, C.A.; STAPE, J.L.; SENTELHAS, P.C.; GONÇALVES, J.L. de M.; SPAROVEK, G. Koppen’s climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift, v. 22, n. 6, p. 711-728, 2014.

ALVES, E.D.L.; SILVA, S.T. Direção e velocidade do vento em uma floresta de transição Amazônia-Cerrado no norte de Mato Grosso, Brasil. Boletim Goiano de Geografia, v. 31, n. 1, p. 63-74, 2011. DOI: 10.5216/bgg.V31i1.15400

BORGES, T.K. de S. Evaporação em superfície de água livre com baixa turbidez. 2017. 133 p. Tese de Doutorado (UFRB –Universidade Federal do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, BA)

COSTA, G.B.; LYRA, R.F.F. Análise dos padrões de vento no estado de Alagoas. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 27, n. 1, p. 31-38, 2012.

DADASER-CELIK, F.; CENGIZ, E. Wind speed trends over Turkey from 1975 to 2006. International Journal of Climatology, v. 34, p. 1913-1927, 2014. DOI: 10.1002/joc.3810.

D' ANGIOLELLA, G.; REBELLO, E.; ANUNCIAÇÃO, Y. & BALEEIRO, C.Influência dos fenômenos acoplados oceano-atmosfera na precipitação de Cruz das Almas, Bahia. Bahia Agrícola, v. 5, n. 1, p. 49-52, 2002.

HASSE, L. Beaufort wind scale. Encyclopedia of Atmospheric Sciences, 2nded., v. 1, p. 189-195, 2003. DOI: dx.doi.org/10.1016/B978-0-12-382225-3.00466-7

JENSEN, M.E.; ALLEN, R.G. Evaporation, Evapotranspiration, and Irrigation Water Requirements, 2nded. ASCE Manuals and Report on Engineering Practice 70, 2016, 744p.

LUTGENS, F. K.,TARBUCK, E. J. The Atmosphere: An Introduction to Meteorology. Pearson Education, 12 ed., Boston, USA, 2013, 528p.

MARTINS, F.R.; GUARNIERI, R.A.; PEREIRA, E.B. O aproveitamento da energia eólica. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 30, n. 1, p. 1304, 2008.

MORAIS, G.M. de; SOBRINHO, J.E.; SANTOS, W. de O.; COSTA, D. de O.; SILVA, S.T.A. da; MANIÇOBA, R.M. Caracterização da velocidade e direção do vento em Mossoró/RN. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 7, n. 4, p. 746-754, 2014.

MUNHOZ, F. C.; GARCIA, A. Caracterização da velocidade e direção predominante dos ventos para a localidade de Ituverava-SP. Revista Brasileira de Meteorologia, v. 23, p. 30-34, 2008.

OLIVEIRA, A.S.; PEREIRA, F.A.C.; OLIVEIRA, G.X.S.; BORGES, V.P. Evaporação da água de reservatórios: Medição e estimativa por métodos meteorológicos. In: GHEYI, H.R., PAZ, V.P.S., MEDEIROS, S.S., GALVÃO, C.O. Recursos Hídricos em Regiões Semiáridas: estudos e aplicações. INSA, p. 44-73, 2012.

PONTES, A.K. dos S.; DIAS, G.F. de M.; SOUSA, A.M.L. de. Caracterização da velocidade e direção predominante dos ventos no litoral nordeste paraense. Revista Brasileira de Iniciação Científica, v. 5, n. 1, p. 33-42, 2018.

SILVA, J.B.; ZANUSSO, J.F.; SILVEIRA, D.L.M. Estudo da velocidade e direção dos ventos em Pelotas, RS. Revista Brasileira de Agrometeorologia, Santa Maria, v.5, n.2, p. 227-235, 1997

SILVA, B.B.; ALVES, J.J.A.; CAVALCANTI, E.P.; DANTAS, R.T. Potencial eólico na direção predominante do vento no Nordeste brasileiro. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 6, p. 431-439, 2002.

STULL, R. Practical Meteorology: An Algebra-based Survey of Atmospheric Science. 2017. 944p., Version 1.02b. Disponível em: www.eoas.ubc.ca/books/Practical_Meteorology/

TORRALBA, V.; DOBLAS-REYES, F.J.; GONZALEZ-REVIRIEGO, N. Uncertainty in recent near-surface wind speed trends: global reanalysis intercomparison. Environmental Research Letters. DOI: 10.1088/1748-9326/aa8a58

VAREJÃO-SILVA, M.A. Meteorologia e Climatologia. Brasília, INMET, 2001. 532p.

WMO - World Meteorological Organization (WMO-No. 8). Guide to Meteorological Instruments and Methods of Observation: Geneva, Switzerland, 2008. 681 p.

Downloads

Publicado

2018-12-31

Como Citar

BORGES , T. K. D. S. .; OLIVEIRA , A. S. D. .; SILVA , N. D. D. Análise da velocidade e direção dos ventos em Cruz das Almas, Bahia, no período 1973-2001. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 6, n. 3, p. 122–134, 2018. DOI: 10.31416/rsdv.v6i3.107. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/107. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Ciências Agrárias - Artigos