A Contribuição da Teoria Humanista para a Formação Integral do Aluno

Autores

  • Eriglécia de Lima Matias IFSertãoPE
  • Regiopidio Gonçalves de Lacerda IFSertãoPE
  • Cristiane Ayala de Oliveira IFSertãoPE http://orcid.org/0000-0003-3552-4229
  • Adriana de Carvalho Figueiredo Rodrigues IFSertãoPE

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v7i2.96

Palavras-chave:

Carl Rogers, Educação Profissional Tecnológica, Abordagem Centrada na Pessoa

Resumo

O artigo em tela objetiva apresentar a compreensão da teoria de Carl Rogers relacionando com a formação do estudante de ensino médio da educação profissional na sua perspectiva contemporânea de proporcionar formação integral. Para tanto, realizou-se a revisão de literatura sobre as teorias do autor, abordando suas contribuições da teoria humanista para a educação como um todo, e de modo específico, para educação profissional técnica. A pesquisa foi realizada a partir da leitura e análise de textos, artigos e livros sobre a obra de Rogers. O material de pesquisa foi selecionado conforme a relevância e especificidade, utilizando-se descritores, dentre outros, Carl Rogers e educação e formação integral. Os resultados apontam que o avanço da abordagem “não-diretiva” para a abordagem “centrada na pessoa” possibilitou a transversalidade da teoria para outras áreas, dentre elas a educação, na medida que a “pessoa” pode ser o cliente como inicialmente pensado, mas também o empregado das empresas, e na educação, o principal sujeito da aprendizagem que é o estudante, abordagem “centrada no aluno”, sobretudo nas relações que são estabelecidas.Por último, faz-se alusão ao pensamento pós-rogeriana ou neorogeriana, na influência da sua abordagem em novos trabalhos em todo o mundo, o que faz do seu pensamento ainda extremamente atual e que nos leva a também considerá-lo quando da análise de uma proposta dentro da psicologia da educação, sobretudo na proposta de educação integral no ensino técnico e tecnológico.

Referências

A importância da obra de C. Rogers.Psicol. cienc. prof.,Brasília ,v. 8,n. 1,p. 34-36,1988 . Available from <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-98931988000100018&lng=en&nrm=iso>. access on20Oct.2019.http://dx.doi.org/10.1590/S1414-98931988000100018.

AMATTO, L.L; ALVES, V.L.P. Uma reflexão a respeito da educação inclusiva e medicalização da infância a partir das ideias de Carl Rogers sobre educação. Memorandum, p.224-242, 2016. Disponível em: <http://www.fafich.ufmg.br/memorandum/a 30/amattoalves01/>. Acesso em: 14 abr. 2019.

BARBOSA, B.A.D. & BARROS, B.P. A abordagem rogeriana como uma possibilidade de intervenção, prevenção e combate ao bullying?

CURY, V. (1987). Psicoterapia centrada na pessoa: evolução das formulações sobre a relação terapeuta-cliente. Dissertação de mestrado não-publicada, Universidade de São Paulo.

CURY, V.E. (1988). ACP: encruzilhada de perspectivas. Boletim da Abordagem Centrada na Pessoa, (Edição Especial).

CURY, V.E. (1993). A Abordagem centrada na pessoa: um estudo sobre as implicações dos trabalhos com grupos intensivos para a terapia centrada no cliente. Tese de doutorado não-publicada, Universidade Estadual de Campinas.

HART, J. T., & TOMLINSON, T. M. (1970). New directions in clientcentered therapy. Boston: Houghton Miffin.

HOLANDA, A. (1998). Diálogo e psicoterapia: correlações entre Carl Rogers e Martin Buber. São Paulo: Lemos.

KUENZER, Acácia. Exclusão includente e inclusão excludente: a nova forma de dualidade estrutural que objetiva as novas relações entre educação e trabalho. In: LOMBARDI, Claudinei; SAVIANI, Demerval (Orgs.). Capitalismo, trabalho e educação. Campinas: Autores Associados/HISTEDBR, 2005.

LIMA, L. D.; BARBOSA, Z. C. L.; PEIXOTO, S. P. L. Teoria Humanista: Carl Rogers e a Educação. Caderno De Graduação -Ciências Humanas E Sociais (ONLINE), v. 4, p. 161, 2018.

MOREIRA, V. (1990). Para além da pessoa: um estudo crítico da psicoterapia de Carl Rogers. Tese de doutorado não publicada, Pontificia Universidade Católica de São Paulo.

MOREIRA, V. (2001). Más allá de la persona: hacia uma psicoterapia fenomenológica mundana. Santiago: Editorial Universitario Universidad de Santiago de Chile.

MOREIRA, V. (2007). De Carl Rogers a Merleau-Ponty: a pessoa mundana em psicoterapia. São Paulo: Annablume. MOREIRA, V. (2008). Psicología humanista fenomenológica. In A. Kaulino & A. Stecher (Eds.), Cartografía de la psicología contemporânea (pp.167-191). Santiago de Chile: LOM-Serie Universitaria.

MOREIRA, V. (2009). Clínica humanista fenomenológica: estudos em psicoterapia e psicopatologia crítica. São Paulo: Annablume.

MOREIRA, V. Revisitando as fases da abordagem centrada na pessoa. Estudos de Psicologia (Campinas), v. 27, N.4, 2010, p. 537-544. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/estpsi/v27n4/11.p df>. Acesso em:13 de abr.de 2019.

RIBEIRO, J.C.G. As intervenções de facilitação nos processos de aprendizagem. Maceió, 2007.

ROGERS, C.R. Liberdade de aprender em nossa década. Porto Alegre: Artes Médicas, 1985. SILVA, E.M; MORAIS, J.A; BARBOSA, I.S. As implicações da Teoria de Carl Ransom Rogers para a Educação em ciências. Revista Amazônica de Ensino de Ciências, Rev. ARETÉ, Manaus, v.6, n.10, p.63-72,2013.

VIEIRA, Emanuel Meireles, Sobre a proposta de conhecimento presente na teoria rogeriana, ou da sabedoria residente na ignorância, revista do nufen, Ano 01, v. 01, n. 02, Agosto/Novembro 2009.

WOOD, J. K. (1983). Terapia de Grupo Centrada na Pessoa. In C. Rogers, J. K. Wood, M. M. O ́Hara & A. Fonseca. Em busca de vida: da terapia centrada no cliente à abordagem centrada na pessoa (pp.45-90). São Paulo: Summus.

Downloads

Publicado

2019-08-31

Como Citar

MATIAS , E. de L. .; LACERDA , R. G. de .; OLIVEIRA , C. A. de .; RODRIGUES , A. de C. F. . A Contribuição da Teoria Humanista para a Formação Integral do Aluno. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 242–251, 2019. DOI: 10.31416/rsdv.v7i2.96. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/96. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Ciências Humanas - Artigos