PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DE PERNAMBUCO: COLONIZAÇÃO DA ESCOLA PELA FILOSOFIA EMPRESARIAL.

Autores

  • Rosivaldo Santos Souza SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA - PE

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v8i2.55

Palavras-chave:

Educação Integral, TEAR, Ideologia e hegemonia em Gramsci, Teoria do discurso, Educação Interdimensional

Resumo

A escola não é mecanismo de colonização política e conformação ideológica. Esse trabalho é parte de uma pesquisa em andamento que suspeita, até o momento, da filosofia institucionalizada na educação básica de Pernambuco, Programa de Educação Integral, como ideologia contemporânea da competência, orientada pelos conceitos de TEAR e Educação Integral. O objetivo é refletir sobre alguns conceitos e marcas identitárias que fazem desconfiar de uma arremetida ideológica sobre a escola pernambucana que, sob a justificativa da modernidade e qualidade necessárias, tenta formatar seu sistema educacional através da filosofia empresarial. O objeto da pesquisa é a filosofia do Programa de Educação Integral (PEI) e o modelo de gestão escolar amparado na chamada Tecnologia Empresarial Aplicada a Educação para Resultados (TEAR), discutidos através dos conceitos de ideologia e hegemonia gramscianos, sob aportes da Teoria do Discurso. Debaixo do olhar comparativo das categorias conceituais de Antônio Gramsci, ideologia e hegemonia, ampliados pela Teoria do Discurso, analisaremos o PEI em basicamente duas dimensões: a gestão escolar racionalizada sob o signo do TEAR e a formação humana segundo a Educação Integral. Dentro do que foi levantado até o momento nessa pesquisa, as inferências apontam: 1. na direção de uma escola alvo da colonização pela filosofia empresarial, colocada como resposta eficaz para o problema da baixa qualidade educacional; 2. na direção duma escola que atua sob o espírito de gestão empresarial para resultados e que apresenta a necessidade de se formar um tipo humano (empresarial) para novos tempos, declarando dessa forma algum tipo de historicidade e politização da educação; 3. na direção de um posicionamento ideológico defensor de uma hegemonização discursiva fundacionista e essencialista de princípios e valores elencados como próprios duma cultura empresarial de sucesso.

Biografia do Autor

Rosivaldo Santos Souza, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E CULTURA - PE

Professor do Estado de Pernambuco e da Bahia com formação em História (Graduação/Especialização) e Filosofia (Graduação/Especialização/Mestrado em formação) .

Referências

ALVES, Ana Rodrigues Cavalcanti. O conceito de hegemonia: de Gramsci a Laclau e Mouffe. Disponível em: http://www.cedec.org.br/soberania-democracia-e-mudanca---ano-2010---no-80. Acesso em:05/02/2020.

DAYRELL, Juarez Tarcísio. A escola como espaço sócio-cultural. Disponível em: https://ensinosociologia.milharal.org/files/2010/09/Dayrell-1996-Escola espa%C3%A7o-socio-cultural.pdf. Acesso em: 16 fev. 2020.

DUTRA, Paulo F. V. Educação integral no estado de Pernambuco: uma política pública para o ensino médio. Recife: UFPE, 2014.

GRAMSCI, Antônio. Introdução ao estudo da filosofia. A filosofia de Benedetto Croce. Edição e Tradução de Carlos Nelson Coutinho; coedição, Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. 9. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017. v. 1.

______. Maquiavel: notas sobre o Estado e a política. Edição e Tradução de Carlos Nelson Coutinho; coedição, Luiz Sérgio Henriques e Marco Aurélio Nogueira. 9. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017. v. 3.

KONDER, Leandro. Gramsci e a crítica da modernidade. Jornal do Brasil, 2 jun. 2001.Caderno Idéias-Livros, p. 8.Disponível em: https://www.acessa.com/gramsci/?page=visualizar&id=135.Acesso em: 10 jan. 2020.

LAVAL, Christian. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. Tradução de Mariana Echalar. São Paulo: Boitempo, 2019.

LIGOURI, Guido; VOZA, Pasquale (org.). Dicionário Gramsciano: 1926-1937. São Paulo: Boitempo, 2017. p. 294.

LIMA, Ivaneide Áurea A. P. TEAR –Tecnologia empresarial aplicada à educação: gestão e resultados. Olinda: Livro rápido, 2011.

MENDONÇA, Daniel de. O limite da normatividade na teoria política de Ernesto Laclau. Disponível em: http://www.cedec.org.br/memoria-e-historia---no91--ano-2014. Acesso em: 22 abr. 2020.

MONASTA, Attilio. Antônio Gramsci. Tradução: Paolo Nosela. Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 2010. 154 p.

PINTO, Geraldo Augusto. O Gramsci de Americanismo e fordismo. Disponível em: https://www.acessa.com/gramsci/?page=visualizar&id=954. Acesso em: 10 jan. 2020.

VIANNA, Luiz Werneck. Revolução passiva e americanismo. Disponível em: https://www.acessa.com/gramsci/?page=visualizar&id=676. Acesso em: 10 jan. 2020.

Downloads

Publicado

2020-05-01

Como Citar

SOUZA, R. S. . PROGRAMA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL DE PERNAMBUCO: COLONIZAÇÃO DA ESCOLA PELA FILOSOFIA EMPRESARIAL. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 219–231, 2020. DOI: 10.31416/rsdv.v8i2.55. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/55. Acesso em: 17 ago. 2022.