A influência das idéias de Paulo Freire no novo modelo de Educação Profissional e Tecnológica

Autores

  • Caroline da Silva Torres IFSertãoPE
  • Plínia de Carvalho Bezerra IFSertãoPE
  • Cristiane Ayala de Oliveira IFSertãoPE http://orcid.org/0000-0003-3552-4229
  • Vitor Prates Lorenzo IFSertãoPE

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v7i2.89

Palavras-chave:

Institutos Federais, Autonomia, Transformação Social

Resumo

Este artigo se propõe a analisar a influência das ideias de Paulo Freire e das tendências pedagógicas de que faz parte, no novo modelo de Educação Profissional e Tecnológica (EPT) implantado no Brasil, a partir da criação dos Institutos Federais de Educação. Para a realização deste estudo qualitativo, optou-se pela pesquisa bibliográfica mediante levantamento das obras de Paulo Freire e da análise de documentos referentes à lei 11.892 de 29 de dezembro de 2008 que cria os Institutos Federais e outro elaborado pelo MEC, em 2010, que define os princípios norteadores desse novo modelo educacional. A pesquisa revelou que as ideias de Freire convergem com os objetivos da EPT na atualidade. Elas podem ser observadas nos referidos documentos, através de concepções e diretrizes voltadas para a democratização do ensino, para o desenvolvimento de uma educação comprometida com a formação humana e cidadã que busca a inclusão social, objetivando a construção de um sujeito autônomo, capaz de transformar a realidade social.

Referências

AU, W. Lutando com o texto: contextualizar e recontextualizar a pedagogia crítica de Freire. In: APPLE, Michael W; AU, Wayne; GANDIN, Luís A. Educação crítica: análise internacional. Porto Alegre: Artmed, 2011.

BARRETO, V. Paulo Freire para educadores. São Paulo: Arte e Ciência, 1998.

BERTRAD, Y. Teorias contemporâneas da educação. Lisboa: Instituto Piaget, 2001.

BRASIL. Lei nº. 11.892, de 29 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União, seção 1, Brasília, DF, p. 1, 30 dez. 2008.

BRASIL. Ministério da Educação. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia: um novo modelo em educação profissional e tecnológica: concepção e diretrizes. Brasília, DF: Ministério da Educação; Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica, 2010.

BRASIL. O surgimento das escolas técnicas. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/educacao/2011/10/surgimento-das-escolas-tecnicas. 2011. Acesso em: 16 abr. 2019.

BRASIL. Parecer nº 11 de maio de 2012. Dispõe sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais Para a Educação Profissional Técnica de Nível Médio. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/. Acesso em: 22 abr. 2015

DELORS, J. (Coord.) Educação: um tesouro a descobrir. Brasília, DF: MEC/UNESCO,2010.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas a outros escritos. São Paulo: UNESP, 2000.

FREIRE, P. Política e Educação: ensaios. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2001.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 36. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2003a.

FREIRE, P. Cartas a Cristina: reflexões sobre a minha vida e minha práxis. 2. ed. São Paulo: UNESP, 2003b.

FREIRE, P. Conscientização: Teoria e prática da libertação: Uma introdução ao pensamento de Paulo Freire. 3ª ed.; São Paulo: Centauro, 2006.

FREIRE, P. Educação e mudança. 30. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2007.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 55. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2017.

KUENZER, A. Z.(Org). Ensino Médio: construindo uma proposta para os que vivem do trabalho. São Paulo: Cortez, 2007.

LIBÂNEO, J. C.. Democratização da Escola Pública: a pedagogia crítico-social dos conteúdos. 19. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2003. (Coleção Educar).

MANFREDI, S. M. Educação profissional no Brasil. São Paulo: Cortez, 2002.

MOREIRA, C.E. Criticidade. IN: REDIN, Euclides; STRECK, Danilo Romeu.; ZITKOSKI, Jaime José (Org.). Dicionário Paulo Freire. 2 ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

MIZUKAMI, Maria da Graça Nicolleti. Ensino: as abordagens do processo. São Paulo: EPU, 1986.

MOURA, D.H.Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectivas de integração. Holos, [s. l.], v. 2, p. 4-30. 2007. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/holos/article/view/11. Acesso em: 18 abr. 2019.

PACHECO, Eliezer. Os Institutos Federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Brasília, DF:MEC; SETEC, 2010.

RAMOS, M.N. História e política da educação profissional. Curitiba: Instituto Federal do Paraná, 2014. (Coleção Formação Pedagógica; v. 5).

SILVA, C.J.R.(Org.). Institutos Federais Lei 11.892, de 29/11/2008:comentários e reflexões. Natal: IFRN, 2009. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=3753-lei-11892-08-if-comentadafinal&Itemid=30192. Acesso em: 10 abr.2019.

ZATTI, V. Institutos Federais de Educação: um novo paradigma em educação profissional e tecnológica? Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v.11, n.3, p.1461-1480, jul./set. 2016. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/iberoamericana/article/view/7555. Acesso em: 12 abr. 2019.

Downloads

Publicado

2019-08-31

Como Citar

TORRES, C. da S. .; BEZERRA, P. de C. .; OLIVEIRA , C. A. de .; LORENZO , V. P. . A influência das idéias de Paulo Freire no novo modelo de Educação Profissional e Tecnológica. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 7, n. 2, p. 134–150, 2019. DOI: 10.31416/rsdv.v7i2.89. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/89. Acesso em: 18 ago. 2022.

Edição

Seção

Ciências Humanas - Artigos