A MERENDA QUE EDUCA

Autores

  • Bruno Freitas Santos Faculdade de Tecnologia e Ciências

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v9i2.244

Palavras-chave:

Desenvolvimento, Nutrição, Saúde

Resumo

Este trabalho trata da importância da merenda escolar, como um importante recurso para um aprendizado muito mais significativo, influenciando positivamente na saúde física e mental do aluno, bem como e no seu desenvolvimento intelectual. Assim, buscou-se verificar, que uma merenda rica em micronutrientes e micronutrientes é elemento chave para um bom desempenho escolar, bem como a permanência do mesmo dentro do espaço escolar. Por meio dos resultados coletados, foi possível verificar que a merenda, tem um poder atrativo no desempenho e na produtividade do aluno. A conclusão do artigo é abordar, que novas políticas públicas educacional, precisam ser implantadas em prol de um ensino amplo, significativo por meio de uma merenda rica, cobiçada e proveitosa em cheiros e sabores.

Referências

ALMEIDA, S. S.; NASCIMENTO, P. C. B. D.; QUAIOTI, T. C. B. Quantidade e qualidade de produtos alimentícios anunciados na televisão brasileira. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v.36, n.3, jun. 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br.>. Acesso em: 29 de março 2019.

ABREU, M. A escola possível e a merenda escolar. Coletâneas do PPGEDU, Porto Alegre, v.1, n.1, p.121-136, jul./ ago. 2009.

ANDRADE, A.; BOSI, M. L. M. Mídia e subjetividade: impacto no comportamento alimentar. Rev. Nutr., Campinas, v.16, n.1, jan./mar., 2003.

AGENCIA BRASIL. disponível em http://agenciabrasil.ebc.com.br/internacional/noticia/2017-09/relatorio-mostra-que-815-milhoes-de-pessoas-passam-fome-no-mundo.

BRASIL. Resolução/ FNDE/ CD/ nº 32 de 10 de agosto de 2006b. Estabelece as normas para execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar -PNAE. Disponível em: . Acesso em: mar. 2015.

IBGE. Questionário PENSE 2012. Disponível em: . Acesso em 23/04/2015.

FREITAS, M.C.S. Mulher light: corpo, dieta e repressão. In: FERREIRA, S.L.; NASCIMENTO, E.R. Imagens da mulher contemporânea. Salvador: NEIM/UFBA, 2002. 208p

FNDE. Programas do FNDE / PNAE Alimentação Escolar / Perguntas Frequentes. Disponível em: <https://www.fnde.gov.br/fndelegis/action/ActionDatalegis.php?acao=abrirTreeview&cod_menu=741&cod_modulo=2>. Acesso em: 14 de março de 2015.

GASTROCENTER. Prevenir-se pela boca: O que os alimentos fazem realmente pela sua saúde. Disponível em: <http://www.gastrocenter.com.br>. Acesso em: 30 ago. 2007.

LEVENSTEIN, H. Revolution at the table: the transformation of the American diet. Berkeley: University of California Press, 2003.

LIPOVETSKY, G. A terceira mulher. Permanência e revolução do feminino. São Paulo: Companhias das Letras, 2000.

MARTINEZ, Marina. FOME: Biologia e fisiologia. InfoEscola. 2015. Disponível em: <http://www.infoescola.com/fisiologia/fome-carencia-alimentos/>. Acesso em 27/05/2015.

MINISTÉRIO DA SAÚDE, Secretaria de Vigilância em Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. 3ª ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2010.

ONU. Assembleia Geral das Nações Unidas. Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da alimentação. 2009. Disponível em <http://www.onu-brasil.org.br/doc_crianca.php>. Acesso em 18/2/2019.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Diminuindo diferenças: a prática das políticas sobre os bons e maus hábitos alimentares sociais da saúde: documento de discussão. Rio de Janeiro: OMS; 2011. Disponível em:

http://www.who.int/sdhconference/discussion_paper/Discussion_Paper_PT.pdf. Acesso em: 21 de nov 2019.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Documento Técnico da Conferência Mundial sobre a alimentação. Determinantes Sociais da Saúde [Internet]. Disponível em: http://determinantes.saude.bvs.br/local/file/Primeira_versao_documento_tecnico_CMDSS.doc. Acesso em: 01 ago 2019.

SANTOS, L.A.S. O Corpo, o comer e a comida: um estudo sobre as práticas corporais e alimentares no mundo contemporâneo. Salvador: EDUFBA, 2008. 330p.

SEMINÁRIO INTERNACIONAL PERDAS E DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS EM CADEIAS AGROALIMENTARES: Oportunidades para Políticas Públicas, na sede da Embrapa, em Brasília (DF)2018.

TEIXEIRA, E. de O. L. A Merenda Escolar e seus aspectos Políticos, Éticos, Sociais e Nutricionais. Monografia apresentada no Curso de Especialização em Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrada ao Ensino Médio na Modalidade EJA. Centro Federal de Educação Tecnológica de São Paulo. São Paulo, 2008.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

SANTOS, B. F. A MERENDA QUE EDUCA. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 9, n. 2, p. 159–169, 2021. DOI: 10.31416/rsdv.v9i2.244. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/244. Acesso em: 30 jun. 2022.

Edição

Seção

Ciências Humanas - Artigos