O Marketing de Relacionamento com o Cidadão como instrumento da análise Ética da Pesquisa

Autores

  • Marcos Antonio Batista dos Santos IFSertãoPE
  • Marcio Fabiano Bonfim Silva IF Sertão-PE

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v6i1.121

Palavras-chave:

Ética, Pesquisa, Análise, Cidadão

Resumo

O presente trabalho tem como objetivo fazer uma análise do marketing de relacionamento com o cidadão aplicado à análise ética da pesquisa envolvendo seres humanos por um sistema integrado de órgãos pertencentes à administração pública, com fins de proteção dos direitos dos participantes da pesquisa. Esse sistema atua de forma integrada e sob orientação de uma comissão superior, mediante a utilização de um sistema de informação capaz de processar informações; bem como, armazená-las, constituindo autêntico banco de dados de acesso público. Nesse contexto, um desses órgãos desempenha suas funções no âmbito de uma autarquia educacional localizada no município de Petrolina PE; embora composto por servidores dessa autarquia, a atuação desse colegiado é independente quanto aos interesses daquela, consubstanciando num instrumento de defesa de direitos dos participantes da pesquisa.

Referências

ARAUJO, P. G; PEREIRA, J. R. Análise da aplicabilidade do modelo gerencial na administração municipal. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 46, n. 5, p. 1179-1199, out. 2012.Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-76122012000500001&lng=pt&nrm=iso>. acesso em 27 abr. 2018.

BARBOSA, A. S.; CORRALES, C. M. & SILLBERMANN, M. Controvérsias sobre a revisão ética de pesquisas em ciências humanas e sociais pelo Sistema CEP/Conep. Revista Bioética, Brasília, vol.22,nº3, setembro/dezembro 2014. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1983-80422014000300012&lang=pt>. Acesso em 16 de junho de 2017.

BRASIL. Conselho Superior do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano. Regimento Interno, resolução n. 59, de 25 de setembro de 2015.

BRASIL. Conselho Nacional De Saúde. Resolução nº 466, 2012.Disponívelem:<http://www.conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf>. Acesso em 05 de junho de 2017.

BRASIL. Conselho Nacional De Saúde. Norma operacional nº 13. 2013. Disponível em:<http://conselho.saude.gov.br/web_comissoes/conep/aquivos/CNS%20%20Norma%20Operacional%20001%20-%20conep%20finalizada%2030-09.pdf >. Acesso em 08 de junho de 2017.

BRASIL. Conselho Nacional De Saúde. Resolução nº 510, 2016. Disponível em:<http://www.conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/reso510.pdf. Acesso em 11 de junho de2017.

BRASIL. Conselho Nacional De Saúde. Comissões CNS CONEP, 2017. Disponível em: http://www.conselho.saude.gov.br/web_comissoes/conep/index.html. Acesso em 29 de junho de2017.

BRASIL. Emenda Constitucionalnº19. Disponível em:http://www2.camara.leg.br/legin/fed/emecon/1998/emendaconstitucional-19-4-junho-1998-372816-norma-pl.html>. Acesso em 25/04/2018.

BRASIL. LEI Nº 12.527. Brasília: Senado Federal, 2011. Disponível em:<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm>. Acesso em 25 de abril de 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Manual operacional para comitês de ética em pesquisa. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2006.

BRASIL. Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo. Manual Sobre Ética em Pesquisa Com Seres Humanos, 2004. Disponível em: <http://pesquisa.bvsalud.org/sms/resource/pt/sms-836. Acesso em27 de junho de 2017.

BRASIL. Centro universitário do estado do Pará. Comitê de ética em pesquisa. Disponível em:<http://www.cesupa.brsaibamais/cep/cep.asp>. Acesso em: 07 de junho de 2017.

DEMO, G. & PESSÔA, R. CRM na Administração Pública: desenvolvimento e validação de uma escala de relacionamento com o cidadão. Revista administração pública, Rio de Janeiro, vol.49,nº3, maio/junho 2015, página 678. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid. Acesso em 08 de junho de 2017.

GONÇALVES, C. A. & FILHO, C. G. Tecnologia da informação e marketing como, obter clientes e mercado. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, vol.35, nº4, julho/agosto 1995. Disponível em:<http://www.scielo.br/scielo.phpscript=sci_arttext&pid=S003475901995000400004>. Acesso em 10 de junho de 2017. Acesso em 09 de junho de 2017.

LARA, R. D.; GOSLING, M. S. Um modelo de gestão do relacionamento entre os cidadãos e a administração pública. READ. Revista eletrônica de administração, Porto Alegre, vol.22, nº2,maio/agosto2016.Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413232016000200333&script=sci_artteext.> Acesso em 10 de junho de 2017. Acesso em 10 de junho de 2017.

REIS, A. C. F. Marketing Cultural e Financiamento da Cultura. 1.ed. São Paulo: Ed. Thompson Oliveira, 2002.

SALIBY, P. E. O Marketing de relacionamento: o novo Marketing da nova era competitiva. Revista de administração de empresas, São Paulo, vol.37 nº3, julho/setembro1997. Disponível em:<http://wwwscielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S00347501997000300011&lang-pt>.Acesso em 14 de junho de 2017.

SCHUCH.P & CERES,V. Pesquisas envolvendo seres humanos: reflexões a partir da Antropologia Social. Revista de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, vol.25, nº3, julho/setembro2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312015000300779&lang=pt>. Acesso em 09 de junho de 2017.

KOTLER, P & ARMSTRONG, G. Princípios de Marketing. 9.ed. São Paulo: Ed. Pearson education do Brasil, 2006, p.474.

Downloads

Publicado

2018-04-30

Como Citar

SANTOS , M. A. B. dos .; SILVA , M. F. B. O Marketing de Relacionamento com o Cidadão como instrumento da análise Ética da Pesquisa. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 6, n. 1, p. 43–57, 2018. DOI: 10.31416/rsdv.v6i1.121. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/121. Acesso em: 16 ago. 2022.

Edição

Seção

Ciências Humanas - Artigos