Experimentando e aprendendo: iniciação científica para crianças

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31416/rsdv.v8i2.46

Palavras-chave:

Alfabetização cientifica, Experimentação, vulnerabilidade social, Iniciação científica

Resumo

Este artigo relata a experiência de um projeto de extensão desenvolvido a partir da importância da iniciação científica para crianças, embasado na necessidade de oportunizar um ensino de ciências utilizando a experimentação. O projeto teve como objetivo geral desenvolver o espírito científico da criança, por meio da aplicação de experimentos. O método usado no desenvolvimento do projeto foi o da pesquisa-ação, de natureza qualitativa e aplicado numa instituição que acolhe meninas em situação de vulnerabilidade social, na faixa etária de 4 a 12 anos, nos turnos matutino e vespertino. As atividades foram desenvolvidas por meio da aplicação de experimentos caseiros e de baixo custo na ONG “Semente do Amanhã” na periferia da cidade de Petrolina. Os experimentos foram escolhidos, testados e realizados com 23 crianças seguindo uma sequência didática de acolhida, realização do experimento e avaliação da atividade. Foram realizados ao todo nove experimentos diferentes e evidenciou-se um despertamento nas crianças para irem além da curiosidade infantil conhecendo os aspectos científicos de cada atividade aplicadas ao cotidiano.

Biografia do Autor

Alerrandra Mikelli Soares Galdino, IFSertãoPE

Estudante de graduação do curso de Licenciatura em Química do IF Sertão-PE

Thaliny da Cruz Luz, IFSertãoPE

Estudante de graduação do curso de Licenciatura em Química do IF Sertão-PE

Delza Cristina Guedes Amorim, IFSertãoPE

Pedagoga, Mestra em Educação, Cultura e Territórios Semiáridos, professora de EBTT, departamento de ensino superior, coordenação de Licenciatura em Química.

Referências

AHLERT, Edson Moacir; WILDNER, Maria Claudete Schorr; PADILHA, Teresinha Aparecida Faccio. (Orgs.) Metodologias Ativas de Ensino e Aprendizagem. IN: Anais do II Seminário de Educação Profissional, 11 e 12 de maio de 2017, Lajeado, RS: Ed. da Univates, 2017.

BERBEL, Neusi. As metodologias ativas e a promoção da autonomia dos estudantes. Semina: Ciências Sociais e Humanas, Londrina, v. 32, n. 1, p. 25-40, jan./jun. 2011.

CHASSOT, Attico. Alfabetização Científica: questões e para desafios para a educação. 8a Edição. Ijuí, Unijuí, 2018.

FONSECA, Franciele Fagundes et all. As vulnerabilidades na infância e adolescência e as políticas públicas brasileiras de intervenção. Rev Paul Pediatr 2013;31(2):258-64. Disponível em< http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-05822013000200019> Acessado em fev. 2019.

MATTAR, João. Metodologias ativas: para a educação presencial, blended e a distância. São Paulo: artesanato educacional. 2017.

MORÁN; J. M. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias coletâneas. 2015. Disponível em: <http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/mudando_moran.pdf>. Acesso em: 22 jun. 2018.

SILVA, Jacqueline Silva da; BEUREN, Jéssica; LORENZON, Mateus. Investigar com crianças: subsídios para a formação e trabalho docente. Lajeado -RS: Ed. da Univates, 2016.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 2000.

_____. Metodologia de pesquisa-ação na prática extensionista. IV Seminário de Extensão da UFRN-Natal, 26-11-2008. Disponível em:< http://reitoria.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2009/05/Palestra_Michael_Thiollent1.pdf> Acessado em fev 2019.

TRINDADE, Diamantino Fernandes. Interdisciplinaridade: Um novo olhar sobre as ciências. IN: FAZENDA, Ivani. O que é interdisciplinaridade? São Paulo: Cortez, 2008.

ZANON, Dulcimeire Ap Volante e FREITAS, Denise de . A aula de ciências nas séries iniciais do ensino fundamental: ações que favorecem a sua aprendizagem. Ciências & Cognição 2007; Vol 10: 93-103.

Downloads

Publicado

2020-08-31

Como Citar

GALDINO, A. M. S. .; LUZ, T. da C. .; AMORIM, D. C. G. Experimentando e aprendendo: iniciação científica para crianças. Revista Semiárido De Visu, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 450–469, 2020. DOI: 10.31416/rsdv.v8i2.46. Disponível em: https://semiaridodevisu.ifsertao-pe.edu.br/index.php/rsdv/article/view/46. Acesso em: 16 ago. 2022.